ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Sindicato dos Comerciários de Brumado e Região lança benefícios que melhoram o relacionamento entre empresa e trabalhadores

Google Tradutor adiciona Guarani e outros idiomas da África, Ásia e América do Sul

Polícia Rodoviária Federal registra apreensão recorde de cocaína em 2021

Mãe tenta vender filho por R$ 400 e foge do hospital após parto

Brumado: Homem é preso após matar companheiro da ex-namorada com golpes de faca no bairro do Mercado

Planejamento das Eleições Gerais 2022 é debatido na sede do TRE-BA

Barra da Estiva: PM apreende seis carros com suspeita de serem clonados

CGU aponta R$ 2,6 bi em desvios do Farmácia Popular

Eleições no Clube Social de Brumado: Chapa 2 quer renovação e inclusão das mulheres na gestão

Estados dizem que cumpriram lei e vão recorrer no STF sobre ICMS no diesel

Em mais uma decisão, justiça suspende licitação que pretendia privatizar serviços de água e esgoto em Brumado

Confira os especialistas da semana na Clínica Mais Vida em Brumado

Neste domingo (15) haverá o fenômeno 'Lua de Sangue' triplamente especial

Sabadão! Tudo pronto para a festa 'Apaixona Brumado' no espaço Popeye Prime

STF suspende políticas estaduais sobre o ICMS do diesel a pedido do Governo Federal

Anvisa e Butantan se reúnem para tratar da CoronaVac para crianças

Idosa que passou 72 anos em situação análoga à escravidão é resgatada no rio no Rio


Bolsonaro é chamado de traidor por policiais e diz que vai 'resolver o caso'

Foto: Reprodução l Adriano Machado l Reuters

Depois de ter sido chamado de traidor por policiais civis e federais, pela dificuldade de agradar a categoria com relação a discussão da reforma da Previdência, o presidente Jair Bolsonaro indicou na quarta-feira, (3), que pretende atuar para solucionar a questão. Enquanto se dirigia a um evento em São Paulo, apontou para um grupo de policiais militares a trabalho e disse: "Vou resolver o caso de vocês, viu"? As regras de aposentadoria de policiais militares, porém, não serão tratadas neste momento da reforma da Previdência, porque são equiparadas às dos militares das Forças Armadas, que serão discutidas em outro projeto. Parte da bancada de policiais do PSL na Câmara dos Deputados ameaça não votar a reforma da Previdência caso as demandas da classe não sejam atendidas. Os parlamentares ligados ao setor de segurança pública querem regras mais brandas de aposentadoria para a categoria do que as previstas atualmente na proposta.

 



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário