ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

LAB: Vamos cuidar daqueles que amamos

Rui autoriza retomada do transporte coletivo intermunicipal em toda a Bahia

Covid-19: Pandemia não impede campanha 'corpo a corpo' entre candidatos em Brumado

Brumado: Há 14 anos filha procura por mãe que separou do pai quando ela ainda tinha 12 anos

BA-148: Motorista fica ferido após colisão entre carro e caminhão em Livramento de Nossa Senhora

BA-262: Queimada às margens de rodovia chama a atenção de motoristas, veja

1.185 pacientes foram curados da Covid-19 em Brumado

Caetité: Hospital do Câncer será entregue em novembro

Bahia: Há mais de uma semana vegetação do interior sofre com incêndios

Brumado: MP pede anulação da comissão do processo de cassação do prefeito Eduardo Vasconcelos

Brumado: Venha conhecer a loja Império 10

Eleições 2020: Médico Geraldo Azevedo tem candidatura a prefeito registrada no TSE

Mais de 20 animais são envenenados e mortos na região da Feira Livre em Brumado

Ministro da Saúde reedita portaria sobre aborto legal no Brasil

Força-tarefa que investiga desvio de recursos para combate à Covid-19 cumpre mandados na Bahia

Dermatologista da Clínica Mais Vida, Dra. Stéphane Spínola, retorna destacando a importância dos cuidados com a pele

Covid-19: 136 pacientes estão em tratamento em Brumado

Guanambi: Chefe do tráfico morre em confronto com a Cipe/Sudoeste no distrito de Ceraíma

Animais de rua ganham abrigo e comedouro em quatro bairros de Vitória da Conquista

'Não quero ser responsável pela morte de alunos', afirma governador sobre volta às aulas na Bahia


Ratinho e SBT terão de pagar R$ 400 mil a dois padres por reportagem falsa de 1999

Foto: Reprodução l Lourival Ribeiro

O SBT e o apresentador Ratinho, Carlos Massa, terão de indenizar dois padres por danos morais por uma reportagem veiculada em 1999. Tanto a emissora quando Ratinho terão de pagar R$ 200 mil (corrigidos) a dois padres da cidade de Astorga, no Paraná, segundo decisão do STJ (Superior Tribunal de Justiça). Segundo o jornal Folha de São Paulo, a reportagem falava que uma moradora da cidade havia deixado o marido para viver com o padre que celebrou seu casamento, mas a notícia era falsa. Além disso, as imagens mostraram um outro padre da mesma cidade. Os dois, então, processaram o programa. A decisão levou em conta "a imprudência dos apelantes ao transmitir ao vivo matéria ofensiva à honra dos apelados, o sofrimento ocasionado às vítimas e a repercussão em cadeia nacional de televisão, em horário nobre", escreveu o ministro. O caso ficou ainda mais grave por envolver padres acusados de infringir o celibato, informou o documento. A assessoria de imprensa do SBT informou que vai recorrer novamente da decisão, já que não se tratou de "fake news e a produção não inventou o conteúdo, que era uma fofoca da cidade". 



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário