ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Líder religioso e ex-vereador crítica atual cenário político no Poder Legislativo de Brumado

Governo do Estado antecipa salário de servidores para 28 de outubro

Com tiro acidental, ator Alec Baldwin mata diretora em set de filmagem

Imagens que mostram funcionários se assustando com raio 'viralizou' em Brumado

Brumado: Mulher encontra irmão morto com um tiro na cabeça na Vila Presidente Vargas

Brumado: 18ª Ciretran e SMTT realizam mudanças em local de 'balizas' para CFCs

Consumidores de Barreiras, Guanambi e Vitória da Conquista estão entre os premiados do Nota Premiada

Brumado: Donos de bares relatam que lixo espalhado em praça é provocado por animais abandonados

Motorista de ônibus ocupa metade da rua e atrapalha o transito no centro de Brumado

Brumado: Moradores reclamam de lixo deixado em praça do Santa Tereza após fechamento de bares

Sextou! Faça seu pedido de frutas e verduras fresquinhas em Bete Fruits

Variante Delta passa a predominar na Bahia e Sesab demonstra preocupação

Caetité: Durante operação, acusados por homicídio são localizados

Policiais Militares da 46ª CIPM ficam feridos após acidente na BA-262

Dois caminhões se envolvem em acidente e rodovia fica bloqueada em Igaporã

MP-BA é contrário a pedido de liminar da APLB contra aulas presenciais no Estado

Transmissão da Covid-19 está em queda no Brasil, indica Fiocruz

Delegacia Virtual adiciona crime de maus-tratos contra animais

Presidente da Câmara de Brumado recepciona vereadores de Rio do Antônio

Poções: Dois homens são denunciados por agredir cachorro até a morte


Banco do Brasil é condenado a pagar quase R$ 15 mil por discriminar portador de HIV

Foto: Luciano Santos l 97NEWS

O Banco do Brasil foi condenado pelo Tribunal de Justiça do Estado da Bahia (TJ-BA) a pagar R$ 14,9 mil de indenização para um cliente que afirma ter sido discriminado por ser portador do vírus HIV. O caso, que ocorreu em um município do norte baiano, foi julgado pela Segunda Câmara Cível. De acordo com a decisão, o entrave começou quando o gerente abordou o cliente, questionando se ele deveria estar na fila prioritária. O cliente comprovou a existência da doença através de exames médicos apresentados. Além disso, alega que foi impedido de realizar uma transação bancária sem justificativa. Segundo o site Bahia Notícias, nos autos, também consta que, após prestar um boletim de ocorrência denunciando o caso, o usuário foi tratado de maneira ainda pior dentro de sua agência bancária. Em sua defesa, o Banco do Brasil diz que o fato de seu funcionário ter pedido para o cliente se retirar da fila não justifica uma ação indenizatória, pois o gerente "estava agindo no estrito cumprimento do dever legal". No seu voto, a relatora, desembargadora Lígia Maria Ramos Cunha Lima, disse que o banco "apresentou contestação na qual argumentou sobre indenização relacionada a demora na fila, do qual não trata o caso dos autos. "Assim, toda a defesa do Réu foi erigida com base em outros fatos não relacionados aos autos. [...] A ré não impugnou especificamente os pedidos do Autor, quais sejam o tratamento discriminatório do funcionário do Réu por ser portador do vírus HIV e a impossibilidade de realizar transações bancárias", aponta o voto. Conforme o site, quanto ao valor estipulado para a indenização por danos morais, a desembargadora pontua que segundo o STJ, a quantificação do dano extrapatrimonial deve levar em consideração parâmetros como a capacidade econômica dos ofensores, as condições pessoais das vítimas e o caráter pedagógico e sancionatório da indenização. Por isso, a desembargadora votou no sentido de negar provimento ao recurso apresentado pelo banco. O voto foi acolhido por unanimidade pela Segunda Câmara Cível.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário