ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

SSP aponta que mais de 400 suspeitos de agredir mulheres foram presos nos primeiros sete meses de 2020

Hospital de Guanambi passa a contar com túnel de desinfecção

Lei Maria da Penha completa 14 anos ampliando medidas de proteção às mulheres

WSouza comemora mais de 2 mil inscritos em canal no Youtube

Carga de maconha avaliada em R$ 12 milhões é apreendida por polícia

Chegou em Brumado a loja que faltava! Império 10

Recuperação econômica global pode ser mais rápida com vacina. diz OMS

Bahia: Policiais civis anunciam paralisação de 24h na próxima terça-feira (11)

Agosto Dourado - a importância do aleitamento materno

Bahia chega a menor índice de ocupação de UTIs desde 25 de maio

Instituto Butantan diz ser possível ter vacina da Covid-19 para registro em outubro

Governador anuncia volta do transporte intermunicipal em algumas cidades da Bahia

'Prefeito de Brumado perdeu a capacidade de ouvir as pessoas', diz Fabrício Abrantes em entrevista à Brasil FM

Cinco pacientes estão internados com Covid-19 em Brumado

Morre aos 73 anos o ator Gésio Amadeu; artista foi diagnosticado com a Covid-19

Em dia de romaria, visitação à gruta de Bom Jesus da Lapa é reduzida

Comércio busca se adaptar para proteger clietes do novo coronavírus em Brumado

Bolsonaro diz que não vai continuar pagando auxílio emergencial por muito tempo

Brumado: 1.068 pacientes tiveram exames descartados e 479 estão curados da Covid-19

Operação integrada desarticula quadrilha de roubo a bancos em Juazeiro


Quase 2 mil km: Uma aventura sobre rodas do Ceará à Bahia

Foto: Luciano Santos l 97NEWS

O jardineiro Thiago Santana da Silva, 32 anos, não poderia imaginar, que a perca de seu avô há quatro anos atrás faria com que ele enfrentasse essa aventura. Ao sair da capital do Ceará para retornar a casa de sua avó, decidiu viajar de bicicleta de Fortaleza até Cocos, no oeste da Bahia. Em sua parada em Brumado, com quase quatro meses de viagem e cerca de 1500 quilômetros depois, ele falou ao 97NEWS sobre essa longa jornada sobre duas rodas e sob o céu do Nordeste. A pedalada começou em fevereiro na cidade de Fortaleza e a previsão de chegada no início de junho. Entre uma e outra, uma sucessão de cidades e comunidades que compõe o mosaico de paisagens entre Ceará e Bahia, carregando consigo apenas o essencial, como as ferramentas de trabalho, a bicicleta e uma barraca onde passa a maioria das noites. "Pedalei vários dias consecutivos quase sem encontrar nenhuma pessoa e quase sem falar, sempre guardava os meus pensamentos e emoções ao longo do trajeto. Se você pedala o dia inteiro, vê tanta coisa, a cabeça acumula tantos pensamentos e ideias", disse o ciclista. Nascido em Brasília, mas foi criado com os seus avôs na cidade de Cocos, ele conta que partiu para o Brasil em busca de oportunidades, mas quando seu avô faleceu, sua vontade era de voltar e cuidar de sua avó, que hoje mora sozinha na cidade, que fica a cerca de 200 km de Guanambi. "Meu avô era minha fortaleza, e ele cuidava da minha avó, e como nós perdemos ele há quatros anos atrás, a minha vó pediu para que retornasse para casa para ficar com ela", contou Santana ao 97NEWS. 

Foto: Luciano Santos l 97NEWS

Thiago diz ainda que nas pedaladas do dia e até noite, ele adora o contraste entre a solidão na natureza. "O melhor de viajar de bicicleta é que se passa por lugares que normalmente nunca iria conhecer. Não sei quantas cidades eu visitei, mas ainda lembro bem de algumas delas, onde fui acolhido de maneira muito carinhosa pelos moradores". O jardineiro disse que são muitas lembranças, até entrevistas para emissoras de rádio ele deu pelo caminho. Mas nem tudo é flores, a viagem também reservou momentos tensos, como o recente assalto que sofreu na cidade de Jequié, como ele mesmo conta. "Eu cheguei por volta das 02h30 na cidade de Jequié com fome, os postos de gasolina não aceita ninguém dormir na área, e ai fui dormir em uma lanchonete afastada. No dia seguinte as 09h da manhã quando sai da barraca tinham levado todo material", relatou Thiago Santana, que teve sua roçadeira, tesoura, escada e outros materiais de jardinagem levados pelos ladrões. Além disso, o ciclista conta que a violência cruzou seu caminho algumas vezes, como em um inesperado momento, no qual ele dormia em um albergue, e de repente um dos homens matou o outro companheiro de quarto à facadas. "Aquilo me marcou de mais, tanto que de lá para cá, mesmo com a ajuda de outras pessoas, ele criou trauma, e prefere dormir em postos de combustíveis", esclareceu Santana que afirmou ainda que, "apesar dessas experiências, só tenho lembranças boas das pessoas que encontrei". O jovem permanecerá em Brumado por alguns dias em busca de arrecadar fundos trabalhando na área de jardinagem, e se você deseja doar ferramentas ou até mesmo dias de serviço, basta ligar para o Thiago Santana no telefone 77 99181-6825.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário