ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Jogador brumadense assina contrato com o Palmeiras por quatro anos

ONU defende que licenças para produção de vacinas sejam dadas ao Brasil e Índia

Bahia ultrapassa 84 mil pessoas que tomaram 1ª dose de vacina contra a Covid-19

Fura-filas da vacinação não terão direito à segunda dose e poderão ser presos

Morre em decorrência da Covid-19 o médico de 44 anos, Dr. Lívio

New Kenko Purificadores: Beba água de qualidade e garanta a saúde para sua família

Brumado: Sem espetáculos há quase oito meses, circo volta a realizar apresentações ao público

Justiça Federal nega liminar contra prefeito de Candiba que furou fila de vacinação

Falso policial civil é preso por aplicar golpe em Livramento de Nossa Senhora

Super promoção da Loja Império 10: duas peças por somente R$ 15

Brumado: Município recebe 480 doses do imunizante desenvolvido pela universidade de Oxford

RotSat: Rastreamento de veículos ou de sua frota!

Brumado chega à 47 óbitos por conta da Covid-19

Pax Nacional sempre ao seu lado

Bancário brumadense de 52 anos morre em decorrência da Covid-19

Polícia encontra depósito clandestino de combustíveis em Itapetinga

Confira os especialistas da semana na Clínica Mais Vida em Brumado


Crise: Venezuelanos vasculham lixão em busca de comida

Foto: Reprodução l G1

Em uma tentativa de sobreviver após fugir da crise na Venezuela, venezuelanos encontraram no lixão da cidade fronteiriça de Pacaraima, em Roraima, sua única fonte de subsistência. Enfiados entre os dejetos da cidade, os imigrantes ficam da manhã à tarde em busca daquilo que possam aproveitar. Recolhem metais, papelões e comida. Eles dizem que não conseguem outro trabalho porque a cidade está cheia de venezuelanos carentes, enquanto outros cometem crimes e “por um todos pagam”. “Buscamos tudo o que possamos vender para conseguir algum dinheiro. Se achamos alimentos que não estão podres, comemos”, descreve Miguel Arteaga, de 48 anos, ao G1. “Moramos os três de favor em uma casa”. O número de venezuelanos que fogem para o Brasil aumentou em meio a manifestações e confrontos no vizinho sul-americano desde a última terça-feira (30). O presidente autoproclamado Juan Guaidó, que preside a Assembleia Nacional, anunciou ter apoio de militares e convocou o povo às ruas um dia antes do 1º de Maio para derrubar o regime de Nicolás Maduro. O chavista, no entanto, afirma que os oposicionistas "fracassarão". Só na terça-feira (30), 848 imigrantes passaram pelo posto de triagem na cidade fronteiriça de Pacaraima. Segundo a operação Acolhida, que controla o fluxo migratório, o movimento foi considerado “atípico” se comparado a média diária de 450. Segundo a ONU, 3,4 milhões de venezuelanos saíram do país desde 2014 quando se agravou a grave crise política e econômica no país. Cerca de 96 mil buscaram refúgio no Brasil, conforme levantamento da Organização Internacional para Migrações (OIM).



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário