ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

PM acaba com festa de 'paredão' e apreende equipamento de som em Brumado

SSP-BA aponta queda de 62,5% de número de latrocínios em agosto

Brumado: Jovem morre em colisão entre moto e carro no bairro Santa Tereza

Brumado confirma 16º óbito por coronavírus e quase 200 casos ativos da doença

Bahia: PRF apreende tabletes de cocaína estampados com foto de Pablo Escobar

Brumado: Município registra 34 novos casos de Covid-19 nas últimas 24h

Brasil chega a 140 mil mortes e casos da Covid-19 em 24h tem leve queda

Confira os especialistas da semana na Clínica Mais Vida em Brumado

LAB: Vamos cuidar daqueles que amamos

Rui autoriza retomada do transporte coletivo intermunicipal em toda a Bahia

Covid-19: Pandemia não impede campanha 'corpo a corpo' entre candidatos em Brumado

Brumado: Há 14 anos filha procura por mãe que separou do pai quando ela ainda tinha 12 anos

BA-148: Motorista fica ferido após colisão entre carro e caminhão em Livramento de Nossa Senhora


Sem diálogo com prefeito, vice-prefeita de Livramento de Nossa Senhora é isolada da gestão

A vice-prefeita de Livramento de Nossa Senhora, Joanina Sampaio (Rede), revelou estar isolado na Prefeitura de Livramento desde o início do mandato de José Ricardo Assunção Ribeiro (Rede), o Ricardinho. Em um evento da cidade, a vice disse que a função deveria acabar, visto que “não serve pra nada”. Segundo ela, o vice só serve para substituir o prefeito em caso de morte. Além disso, Joanina causou espanto ao dizer que não faz nada dentro da administração municipal. “Não tenho qualquer autonomia”, declarou, acrescentando que não recebe nenhum apoio oficial e que o poder público fecha os olhos para os problemas da população. Apesar do isolamento, Joanina disse que tem cumprido diariamente suas ações e continuará no exercício do cargo, já que foi eleita para a função. Joanina também assegurou não ter nenhuma objeção ao nome do prefeito Ricardinho. "Eu fui eleita e serei vice-prefeita até o último dia do mandato se Deus me permitir.  O trabalho continua normal", declarou. Questionada do por quê então não renuncia ao cargo, a vice-prefeita disse que não descarta essa possibilidade. A vice-prefeita recebe todos os meses cerca de R$ 12.600,000, que confessou usar para fazer assistencialismo, incluindo distribuição de cesta básica.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário