ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

PM acaba com festa de 'paredão' e apreende equipamento de som em Brumado

SSP-BA aponta queda de 62,5% de número de latrocínios em agosto

Brumado: Jovem morre em colisão entre moto e carro no bairro Santa Tereza

Brumado confirma 16º óbito por coronavírus e quase 200 casos ativos da doença

Bahia: PRF apreende tabletes de cocaína estampados com foto de Pablo Escobar

Brumado: Município registra 34 novos casos de Covid-19 nas últimas 24h

Brasil chega a 140 mil mortes e casos da Covid-19 em 24h tem leve queda

Confira os especialistas da semana na Clínica Mais Vida em Brumado

LAB: Vamos cuidar daqueles que amamos

Rui autoriza retomada do transporte coletivo intermunicipal em toda a Bahia

Covid-19: Pandemia não impede campanha 'corpo a corpo' entre candidatos em Brumado

Brumado: Há 14 anos filha procura por mãe que separou do pai quando ela ainda tinha 12 anos

BA-148: Motorista fica ferido após colisão entre carro e caminhão em Livramento de Nossa Senhora


Brumado: Sindsemb cobra do município mais transparência nos pagamentos de 'horas extras' dos GCMs

Foto: 97NEWS

A diretoria do Sindicato dos Servidores Públicos do Município de Brumado (Sindsemb), liderada pelo GCM, Jerry Adriano Garcia, junto ao Jurídico, se reunirá com o prefeito Eduardo Vasconcelos, na sede da Administração em busca de diálogos sobre a transparência na hora do pagamento de horas extras do setor. Segundo o sindicalista, as horas extras estão sendo pagas de modo incorreto. "A guarda trabalha 12/36, e no edital do concurso exige 40 horas, mas não tem como trabalhar 40 horas noturna semanal, e o município está exigindo esta carga horária. E isso é incorreto", relatou ao 97NEWS. Ainda segundo Jerry, um guarda civil trabalha por 15 dias, somando 180 horas mensal, mas de acordo com o GCM, o município estaria calculando cerca de 200 horas mensais, o que estaria segundo ele, gerando erros na hora dos pagamentos das extras. "Nós não trabalhamos 200 horas, e o município insiste em calcular horas a mais. Não sabemos como eles encontram essas 20 horas", comentou. Jerry relatou ainda que já houve uma reunião entre a categoria, e agora é tentar passar as demandas em prol do funcionalismo para o gestor público. "Vamos dialogar, e tentar procurar onde está o erro", disse Jerry Adriano, presidente do Sindsemb.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário