ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Brumado: Faculdade de medicina terá acesso via rotatória na BA-262

Brumado: MP abre inquérito civil para apurar irregulares em obras nos canais dos riachos 'Bate-Pé' e 'Sapé'

Homem morre em confronto com a polícia em Caetité

Bahia dá vexame e perde título da Copa do Nordeste para o Ceará

E2 Engenharia apresenta novo empreendimento na cidade de Brumado

Beirute: Explosão em armazém causa destruição no Líbano

Brumado registra quinta morte por Covid-19, o novo coronavírus

Antes mesmo de ser lançada, estelionatários estão repassando notas falsas de R$ 200 na Região Sudoeste

Conquista: Mãe e filho são presos por tentar subornar PMs com R$ 40 mil

Decreto regulamenta classificação de rsico de atividade econômica em Brumado

Bahia: Escolas voltarão com aulas aos sábados e sem recesso de fim de ano, diz Governador

Impeachment de Bolsonaro não é prioridade da Câmara, diz Rodrigo Maia

8 municípios baianos ainda não possuem casos confirmados da Covid-19

Brumado registra mais oito novos casos da Covid-19 nas últimas 24h

Brumado: Mais um acidente com vítima fatal é registrado na rotatória que dá acesso ao bairro Esconso

Brumado: Farmácias voltam a operar em regime de plantão

Livramento de Nossa Senhora: Mãe é detida após desferir golpe de facão em filho

Conquista: Produção do Festival de Inverno cancela evento oficialmente por conta da Covid-19

Brumado: Homem passa mal e cai de moto na Praça da Igreja Matriz

Brumado: Justiça determina afastamento de servidores municipais do grupo de risco do coronavírus


Brumado: Sindsemb cobra do município mais transparência nos pagamentos de 'horas extras' dos GCMs

Foto: 97NEWS

A diretoria do Sindicato dos Servidores Públicos do Município de Brumado (Sindsemb), liderada pelo GCM, Jerry Adriano Garcia, junto ao Jurídico, se reunirá com o prefeito Eduardo Vasconcelos, na sede da Administração em busca de diálogos sobre a transparência na hora do pagamento de horas extras do setor. Segundo o sindicalista, as horas extras estão sendo pagas de modo incorreto. "A guarda trabalha 12/36, e no edital do concurso exige 40 horas, mas não tem como trabalhar 40 horas noturna semanal, e o município está exigindo esta carga horária. E isso é incorreto", relatou ao 97NEWS. Ainda segundo Jerry, um guarda civil trabalha por 15 dias, somando 180 horas mensal, mas de acordo com o GCM, o município estaria calculando cerca de 200 horas mensais, o que estaria segundo ele, gerando erros na hora dos pagamentos das extras. "Nós não trabalhamos 200 horas, e o município insiste em calcular horas a mais. Não sabemos como eles encontram essas 20 horas", comentou. Jerry relatou ainda que já houve uma reunião entre a categoria, e agora é tentar passar as demandas em prol do funcionalismo para o gestor público. "Vamos dialogar, e tentar procurar onde está o erro", disse Jerry Adriano, presidente do Sindsemb.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário