ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Paramirim: Após ato com prefeito, convenção da oposição também tem aglomeração

Brumado: Boletim de sábado registra 150 casos ativos da Covid-19 e 8 pacientes hospitalizados

Feira de Santana: Vocalista da banda Chicana sofre acidente de carro e morre

Sistema BRAVO! rompe barreiras e chega ao Pernambuco

Confira os especialistas da semana na Clínica Mais Vida em Brumado

Brumado: Professores da rede municipal de ensino fazem carreata contra volta às aulas

Brumado: Agência da Caixa Econômica abre neste sábado (19) para atender calendário de benefícios emergenciais

Corpo é encontrado boiando em lagoa da zona rural de Brumado

Brumado: Presidente da Liga Brumadense de Futebol poderá ser o novo Secretario de Esportes

Contendas do Sincorá: PROS realiza convenção para homologar candidatura de Margareth Pina e Roberto

Brumado: 133 pacientes continuam em tratamento da Covid-19

Brumado: Idoso de 71 anos é detido após atirar em cães no meio da rua

Projeto torna crime agressão a profissional de imprensa

LAB: Segurança desde a coleta ao resultado do seu exame

Eleições 2020: Castilho Viana confirma candidatura a vereador em Brumado


Brumado: Sindsemb cobra do município mais transparência nos pagamentos de 'horas extras' dos GCMs

Foto: 97NEWS

A diretoria do Sindicato dos Servidores Públicos do Município de Brumado (Sindsemb), liderada pelo GCM, Jerry Adriano Garcia, junto ao Jurídico, se reunirá com o prefeito Eduardo Vasconcelos, na sede da Administração em busca de diálogos sobre a transparência na hora do pagamento de horas extras do setor. Segundo o sindicalista, as horas extras estão sendo pagas de modo incorreto. "A guarda trabalha 12/36, e no edital do concurso exige 40 horas, mas não tem como trabalhar 40 horas noturna semanal, e o município está exigindo esta carga horária. E isso é incorreto", relatou ao 97NEWS. Ainda segundo Jerry, um guarda civil trabalha por 15 dias, somando 180 horas mensal, mas de acordo com o GCM, o município estaria calculando cerca de 200 horas mensais, o que estaria segundo ele, gerando erros na hora dos pagamentos das extras. "Nós não trabalhamos 200 horas, e o município insiste em calcular horas a mais. Não sabemos como eles encontram essas 20 horas", comentou. Jerry relatou ainda que já houve uma reunião entre a categoria, e agora é tentar passar as demandas em prol do funcionalismo para o gestor público. "Vamos dialogar, e tentar procurar onde está o erro", disse Jerry Adriano, presidente do Sindsemb.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário