ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Casos ativos da Covid-19 voltam a cair após 4 dias na Bahia; estado registra 9 óbitos em 24h

Embasa é acionada por descarte irregular de resíduos em Morro do Chapéu

Brumado: Terminal Rodoviário passa por manutenção e conservação

Conquista: Comerciante é preso vendendo celulares com restrição de roubo

Bahia receberá primeira Copa Indígena de Futebol

Empresa brumadense está entre as classificadas para o Prêmio BBM de Logística 2021

Caminhoneiros acusam ministro de se empenhar para desarticular greve

Itapetinga: Homem é preso suspeito de se passar por funcionário de bancos e aplicar golpes de mais de R$ 50 mil

Brumado: Moradores da rua Bocaiuva reclamam que coleta não está sendo realizada e lixo se acumula pela rua

Novo decreto que vai liberar 50% da capacidade dos estádios na Bahia

Brumado: Moradores da Rua Princesa Leopoldina rompem manilha de esgoto após alagamento de casas

Brumado: Moradores reclamam de criação de porcos perto de residências no bairro São Felix

Brumado: Câmara recua e não vota proposta para volta das máscaras de proteção

Conquista: Acidente entre carro de passeio e carreta deixa quatro mortos

Senhor do Bonfim: Operação prende empresário considerado 'príncipe do tráfico'

Após reivindicação da vereadora Verimar, operação 'Água Potável' é iniciada em Brumado

Petrobras sobe novamente preços da gasolina e do diesel

Brumado: OAB vai acionar prefeito na Justiça após decreto que liberou uso de máscaras

Brumado: Colisão lateral entre veículo de passeio e moto deixa dois feridos na BA-148

Motociclista de 42 anos morre em acidente na BA-148


Polícia Civil indicia João de Deus por violação sexual mediante fraude

Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

A Polícia Civil de Goiás concluiu a primeira investigação contra o médium João de Deus e o indiciou nesta quinta-feira (20) por violação sexual mediante fraude. A vítima do caso é uma mulher de 40 anos que alega ter sido molestada durante um atendimento individual em outubro. O médium nega as acusações. O polícia aponta no relatório que ele cometeu uma espécie de estelionato ao oferecer um tratamento de cura espiritual visando cometer a violação. Os crimes teriam acontecido na Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia, no estado de Goiás. De acordo com o Bahia Notícias, o caso vai passar a ser analisado pelo Ministério Público de Goiás, que deve decidir se denuncia ou não João de Deus. Se condenado, ele pode pegar de dois a seis anos de prisão. A defesa dele entrou com um pedido de liberdade no Supremo Tribunal Federal (STF) nesta tarde. Ministério Público recebeu 506 relatos de abusos sexuais que teriam sido cometidos por João de Deus, que foi preso na última sexta (14). O inquérito que resultou no indiciamento desta quinta foi o primeiro aberto contra o médium. Segundo a Polícia Civil, os demais casos podem ter prescrito por serem antigos.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário