ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Restaurante serve 'marmitex' com carvão para cliente com transtorno mental em Serra do Ramalho

PF cumpre mandados em Rio de Contas e Livramento de Nossa Senhora na Operação 'Work Out'

Ladrões se vestem de operários e roubam fios de cobre subterrâneos em obra no centro de Salvador

Brumado: Corrida à vagas no Legislativo tem recorde de candidatos inscritos

Brumado: Município confirma 17ª morte por coronavírus; já são 235 casos ativos

Bahia antecipa pagamento de aposentados e pensionista no mês de setembro

Corpo de mulher em estado de decomposição é encontrado em Aracatu

'Números de óbitos ainda estão altos', diz Rui ao ser questionado sobre volta às aulas

Brumado: Venha conhecer a loja Império 10

Eleições 2020: Em cinco anos, patrimônio de Eduardo Vasconcelos dobra de valor e passa dos R$ 4 milhões

RotSat: Rastreamento de veículos ou de sua frota!

PM acaba com festa de 'paredão' e apreende equipamento de som em Brumado

Gel Sol: Uma empresa especializada em renovar o seu Consumo de Energia!

SSP-BA aponta queda de 62,5% de número de latrocínios em agosto

Brumado: Jovem morre em colisão entre moto e carro no bairro Santa Tereza

Pax Nacional é referência no segmento funerário e se destaca em toda região

Brumado confirma 16º óbito por coronavírus e quase 200 casos ativos da doença


Sociedade de Pediatria pede investigação sobre abusos contra crianças na eleição

Foto: Luciano Santos l 97News

A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) apresentou uma denúncia sobre a exploração de crianças em vídeos divulgados nas redes sociais durante o período eleitoral. de acordo com a Agência Brasil, a SPB solicita à Polícia Federal, ao Ministério Público Federal e ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a apuração de supostos abusos praticados contra crianças nas eleições. A solicitação da entidade é para que a Polícia Federal possa identificar e punir os responsáveis pela produção e distribuição massiva dos vídeos. Ao Ministério Público, a SBP pede que a demanda seja encaminhada ao Poder Judiciário. Ao TSE, a solicitação é para que sejam criadas regras explícitas que impeçam novas ocorrências como essas nas próximas eleições. De acordo com os pediatras, a exposição de pessoas de 0 a 19 anos nos vídeos é semelhante aos casos de exploração sexual ou de trabalho e fere o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Segundo a Sociedade, os pais ou responsáveis pelas crianças devem ser responsabilizados.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário