ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Polícia encontra depósito clandestino de combustíveis em Itapetinga

Confira os especialistas da semana na Clínica Mais Vida em Brumado

Abastecimento em bairros e localidades rurais de Brumado registra irregularidade por falta de energia elétrica

Preço da gasolina sobe quase 60 centavos e chega a R$ 5,09 em Brumado

Clínica Mais Vida traz para Brumado o que há de mais moderno em Ultrassonografia de qualidade e alta definição

Barra do Choça: Mulher é encontrada morta dentro de casa; suspeito possuía dívida de R$15 mil

Acusado de furtar seringas, servidor foi encontrado morto antes de ser ouvido em Conquista

Fim de semana com alimentos saudáveis é na Bete Fruits

47 novos casos de coronavírus são registrados nas últimas 24h em Brumado

Brumado; Presidente da Câmara afirma que áudio em que ele pede 'farra' no primeiro salário, 'não passou de uma brincadeira entre eles'

Índia autoriza exportação de vacina para o Brasil, diz agência Reuters

Municípios atendidos pela Central de Atendimento Covid em Brumado registram aumento nos casos de coronavírus

Cinco morrem em incêndio em prédio do Instituto Serum, fabricante de vacinas contra Covid-19 na Índia

Em suposto áudio gravado no aplicativo de mensagens, presidente da Câmara de Brumado informa primeiro pagamento dos edis e ironiza; 'galera é pra fazer farra viu'

Mutuípe: Médico de 95 anos escolhido para ser primeiro vacinado contra Covid-19 morre horas antes de ser imunizado

Mais de 19 mil baianos já tomaram a primeira dose da vacina contra Covid-19

Vitória da Conquista: Juiz autoriza paciente a plantar maconha para tratar fibromialgia

Bahia: MP aciona prefeito de Candiba por improbidade; prefeito 'furou' fila da vacinação

Brumado: Casal morre e três ficam feridos em grave acidente na rotatória da BA-262 e BR-030


Vídeo: Youtuber denuncia idosa por agressão e racismo: 'Olha essa preta nojenta'

Foto: Reprodução l Redes Sociais

A youtuber Alanne França denunciou, na quarta-feira (25), uma idosa por racismo e agressão. Segundo a vítima, o caso aconteceu dentro de um ônibus na cidade de Campo Grande, interior de São Paulo. Em publicações no Twitter, a moça contou que a mulher entrou no coletivo e sentou ao lado dela, mas se certificou que as duas não iriam se encostar. “Já me empurrando com a bolsa, para que eu não encostasse nela”, escreveu.  De acordo com o relato, uma adolescente teria entrado no ônibus um tempo depois e, sem querer, pisou no pé da idosa, que se irritou com a situação e começou a dizer palavras de baixo calão para a garota, que pedia desculpas. Chateada com o caso, Alanne pediu para a mulher se acalmar e, ao tocar nela, começou a ser agredida verbalmente e, logo em seguida, fisicamente. “Eu calma estava e calma continuei. Disse ‘senhora, não precisa xingar assim. Ela já pediu desculpas’. Ela empurrou a minha mão e começou a gritar comigo. Macaca, preta nojenta, desencosta de mim macaca dos infernos. Todos no ônibus começaram dizer que ela era racista, mas ela só respondia ‘olha pra ela, olha essa preta nojenta’”, conta a jovem. Ainda segundo Alanna, a mulher teria a agredido com dois tapas e um arranhão no rosto. “Ela me deu dois tapas na cara e em seguida apertou meu rosto com as unhas, e isso cortou ele. Meu rosto começou sangrar e pra afastar ela eu segurei pelos cabelos e sacudi a cabeça dela já que empurrar e as pessoas tentarem afastar ela de mim não dava jeito”, diz. “Quando a afastaram de mim, ela simplesmente tirou os sapatos que calçava e jogou eles em mim, enquanto disse: “se você gosta tanto de defender, tinha que começar se defendendo nascendo branca”. Eu não consegui mais e só lembro que sentei e chorei enquanto alguém falava pra mim”, lamenta. Antes da chegada da polícia, a mulher teria tentado sair do ônibus, no entanto, o motorista não permitiu e levou o coletivo para a delegacia, onde o caso foi registrado. Na presença da polícia, a idosa teria continuado agredindo a vítima verbalmente e chegou a dizer que a história não iria “dar em nada”. Cinco horas após o crime, a filha da suspeita foi até a delegacia, pagou uma fiança de R$ 1 mil e saiu do local com a mãe. Antes de deixar a delegacia, contudo, a filha afirmou que não poderia provar no momento, mas a mãe dela tem Alzheimer e que, quando a doença fosse comprovada, a vítima seria apenas mais uma “estatística”.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário