ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Covid-19: cai de 12 para 8 semanas prazo entre as doses da AstraZeneca

Presidente da Alba assume interinamente o governo da Bahia após viagem de Rui e Vice

MP-BA recomenda que Guanambi desalugue prédio da Cultura após erros em licitação

Brumado tem 100,3% da população acima de 12 anos vacinada com a primeira dose

Bahia: Menino de 11 anos cria simulador para jogos de celular com materiais recicláveis

SSP-BA recebe empresas para contratação de câmeras corporais

Psicóloga Paula Machado aborda o tema: Sabemos lidar com as perdas?

Brumado: Um ano depois, 'funileiro' termina veículo inspirado no modelo WT

Operação Nossa Senhora Aparecida: PRF apreende cerca de R$ 2,5 milhões em drogas nas estradas da Bahia

Brumado: Após bloqueio de moradores, SMTT remove pneus de via no Apertado do Morro

Bahia: No combate a violência doméstica e tráfico de drogas, Polícia deflagra ação no interior

Brumado: Presidente da Câmara é vítima de fake news e denuncia crime à Polícia Cívil

STF derruba lei que liberava venda de remédios para emagrecer

Salvador: PM apreende armamento e drogas durante evento de paredão

Durante live, Bolsonaro volta a defender 'kit covid'

Bahia: Cerca de 14 mil processos de suspensão de CNHs serão arquivados

Brumado: Sindsemb homenageia os professores com mensagem de agradecimento e valorização

STJ autoriza retorno de Maurício Barbosa ao cargo de delegado da PF

Major Leila Silva realiza visita institucional a presidente da Câmara de Brumado

Brumado: TOR apreende produtos eletrônicos sem nota fiscal na BR-030


Sem alimentos, 170 mil frangos morrem por dia na Bahia; número pode chegar a 500 mil

Foto: Divulgação l ABA

Cerca de 170 mil frangos morrem por dia na Bahia por falta de alimentos, segundo dados da Federação da Agricultura e Pecuária do estado (Faeb). A partir desta quarta-feira (30) o número das mortes deverá chegar em 500 mil, segundo a Faeb. As aves não estão sendo alimentadas por conta do bloqueio de rodoviais em todo o país, que impedem a passagem dos caminhões que transportariam os alimentos às granjas. Os animais mortos estão sendo removidos por caçambas e retroescavadeiras. Com a falta de alimento, as aves passam a comer umas as outras. A Associação Baiana de Avicultura (ABA) solicitou aos caminhoneiros, através de nota, a liberação da passagem dos veículos que transportam alimentos às granjas, para que as mortes destes animais não cheguem a ser um problema de saúde pública. “Caso não chegue a ração nas granjas, teremos consequências desastrosas, pois as aves mortas não poderão ser enviadas para abate e não terão onde ser descartadas, pondo em risco a saúde pública e a contaminação do meio ambiente”, afirmou o órgão.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário