ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Após reclamação de usuários, banheiros do terminal rodoviário de Brumado passa por reforma

China coleta amostras pelo ânus para diagnosticar Covid-19: 'Aumenta taxa de detecção'

Rui Costa diz que Anvisa tem “má vontade” para liberar uso da vacina russa

Brumado: Abertas inscrições para o curso de Pós Graduação em Gestão em Saúde na UAB

Dupla é detida com drogas no bairro Dr. Juracy, em Brumado

Há 4 anos sem renovar concessão, 'Embasa atua de modo irregular em Brumado', afirma secretário

Despesas do governo federal com alimentos passam de R$ 1,8 bilhão; só de leite condensado foi quase R$ 15 milhões

Barreiras: Caixão vazio é abandonado em beira de estrada

Brumado: Polícia Civil alerta para cuidados contra crimes de estelionato

SAC adota novo horário de atendimento aos sábados

Brumado registra 49 óbitos por conta da Covid-19, o novo coronavírus

Aracatu: Coelba desativa gatos de energia no município

Bahia: Detran capacita novos coordenadores de unidades de trânsito da capital e do interior

Brumado: Jovem tem bicicleta furtada dentro de casa no distrito de Lagoa Funda

Brumado: Clientes da Oi reclamam que telefones fixo e internet não funcionam

Tremor de terra é registrado em Jacobina

Faustão quebra o silêncio, confirma saída da Globo e não descarta deixar o país

Covid-19: Bahia já recebeu mais de meio milhão de vacinas imunizantes

Brumado confirma 27 novos casos de coronavírus nas últimas 24h

Jogador brumadense assina contrato com o Palmeiras por quatro anos


Mundo: Declínio 'alarmante' no meio ambiente ameaça suprimento de alimento e energia, diz ONU

Foto: Luciano Santos l 97NEWS

As atividades humanas estão causando um declínio alarmante na variedade da flora e da fauna na Terra e ameaçando os suprimentos de alimentos, água potável e energia, segundo um estudo de biodiversidade apoiado pela Organização das Nações Unidas (ONU) divulgado na última semana. A poluição, a mudança climática e os desmatamentos para liberar terras para o cultivo estão entre as piores ameaças à natureza, de acordo com os mais de 550 especialistas que formularam uma série de relatórios aprovados por 129 governos depois de conversas na Colômbia. "A biodiversidade, a variedade essencial de formas de vida na Terra, continua a declinar em todas as regiões do mundo", escreveram os autores. Quatro relatórios regionais cobriram as Américas, a Ásia e o Pacífico, a África, a Europa e a Ásia Central - todas as áreas do planeta, com exceção dos pólos e dos altos-mares. O relatório das Américas estimou que o valor da natureza para as pessoas, como lavouras, madeira, purificação de água ou turismo é de ao menos 24,3 trilhões de dólares por ano, o equivalente ao produto interno bruto (PIB) da região, do Alasca à Argentina. Quase dois terços destas contribuições naturais estão em declínio nas Américas, aponta o documento. "A biodiversidade e as contribuições da natureza para as pessoas soam para muitos como algo acadêmico e muito distante de nossas vidas diárias", disse Robert Watson, presidente da Plataforma Intergovernamental de Ciência e Política sobre Biodiversidade e Serviços para Ecossistemas (IPBES). 



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário