ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Jornalista Daniel Simurro morre aos 58 anos em Brumado

Brumado: Há 19 dias município não registra morte por Covid-19

Guanambi: Rui entrega reforma de estrada e autoriza R$ 35 milhões em ações

Brumado: Blogueiro Daniel Simurro é internado após mal súbito em sua residência

Brumado: Sindicato dos Mineradores denuncia assédio moral em empresa de refino de talco

Brumado retoma vacinação de adolescentes com 16 e 17 anos nesta terça-feira (21)

Novas chamas atingem Chapada Diamantina entre Mucugê e Lençóis

Caetité lidera produção mineral baiana em agosto

Em carta, governadores desmentem Bolsonaro sobre alta da gasolina

Brumado: Manifestantes protestam contra Bolsonaro e prefeito Eduardo Vasconcelos em praça pública

Brumado: Após 1 ano e cinco meses, grupos de capoeira retornam com encontros em praças

Brumadenses são presos em Goiás por roubo de carga avaliada em R$ 180 mil

Brumado vacina contra a Covid nesta segunda-feira, pessoas de 12 a 17 anos com comorbidades

Bombeiros continuam em combate a incêndios na Bahia

Brumado: Mulher fica ferida após acidente entre carro e moto no bairro Santa Tereza

Vítima de câncer, morre ator Luis Gustavo aos 87 anos

Confira os especialistas da semana na Clínica Mais Vida em Brumado

Vacina da Pfizer não foi causa provável de morte de adolescente, diz governo de SP


Moradores da região de Roça de Baixo clamam por reforma urgente do cemitério

A situação de precariedade do cemitério de Roça de Baixo é patente (Foto: 97NEWS)

A situação de precariedade de vários cemitérios do meio rural que acontece em várias localidades do meio rural de Brumado vem sendo um desafio para o setor de infraestrutura municipal, que, na medida do possível, vem buscando reverter esse quadro. Dentro deste cenário negativo, moradores de Comunidade de Roça de Baixo entraram em contato com a redação do 97NEWS para comunicar que a situação do cemitério da que atende também as localidades de Várzea de Areia, Fazenda Algodão e Várzea do Moço está muito deficitária, com mato tomando conta, muros caindo, ou seja, sem condições de se realizar sepultamentos. Eles informaram que há mais de 5 anos vem solicitando da administração municipal que fossem realizadas obras de recuperação, mas, até o momento, os apelos não foram atendidos. Eles esperam que, desta feita, a sensibilidade fale mais alto e que a recuperação seja feita, já que são cerca de 70 famílias que moram na região e que acabam sendo prejudicadas. Entramos em contato com o secretário municipal de infraestrutura, André Cardoso, que, primeiramente comunicou que a responsabilidade dos cemitérios está com a secretária de administração e que um planejamento para a recuperação dos cemitérios do meio rural já está sendo feito, mas que irá estudar a possibilidade de antecipar a recuperação do referido cemitério, o qual inclusive recebeu uma visita recenda da equipe da SEMAD. 



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário