ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Aracatu: Coelba desativa gatos de energia no município

Bahia: Detran capacita novos coordenadores de unidades de trânsito da capital e do interior

Brumado: Jovem tem bicicleta furtada dentro de casa no distrito de Lagoa Funda

Brumado: Clientes da Oi reclamam que telefones fixo e internet não funcionam

Tremor de terra é registrado em Jacobina

Faustão quebra o silêncio, confirma saída da Globo e não descarta deixar o país

Covid-19: Bahia já recebeu mais de meio milhão de vacinas imunizantes

Brumado confirma 27 novos casos de coronavírus nas últimas 24h

Jogador brumadense assina contrato com o Palmeiras por quatro anos

ONU defende que licenças para produção de vacinas sejam dadas ao Brasil e Índia

Bahia ultrapassa 84 mil pessoas que tomaram 1ª dose de vacina contra a Covid-19

Fura-filas da vacinação não terão direito à segunda dose e poderão ser presos

Morre em decorrência da Covid-19 o médico de 44 anos, Dr. Lívio

New Kenko Purificadores: Beba água de qualidade e garanta a saúde para sua família

Brumado: Sem espetáculos há quase oito meses, circo volta a realizar apresentações ao público

Justiça Federal nega liminar contra prefeito de Candiba que furou fila de vacinação

Falso policial civil é preso por aplicar golpe em Livramento de Nossa Senhora

Super promoção da Loja Império 10: duas peças por somente R$ 15

Brumado: Município recebe 480 doses do imunizante desenvolvido pela universidade de Oxford

RotSat: Rastreamento de veículos ou de sua frota!


Agora é proibido: Sancionada pelo governador a lei que proíbe extração, venda e uso de amianto

Foto: Reprodução

A lei que proíbe a extração, comercialização e utilização de amianto, aprovado pela Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) no dia 5 de dezembro, foi sancionada pelo governador Rui Costa e publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) nesta quinta-feira (28). O projeto, faz cumprir uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) emitida no final de novembro, que proíbe o uso do mineral em todo o território nacional. O amianto, ou asbesto, era usado desde a fabricação de artigos comuns, como reservatórios de água e telhas, até como base em processos industriais, mas é cancerígeno. O projeto causou polêmica após o Ministério Público do Trabalho (MPT) pedir o veto de um dispositivo do texto que permitia o uso de amianto no processo industrial de eletrólise para produção de cloro. Segundo Rosemberg, no entanto, nesse caso não há contato dos trabalhadores envolvidos com o produto. “O produto vem fechado e não há qualquer contato com o indivíduo. A liberação surgiu por meio de emenda, a partir de debates na Assembleia, com diversos segmentos, em especial os trabalhadores. 



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário