ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Confira os especialistas da semana na Clínica Mais Vida em Brumado

Caminhão tomba em ribanceira e deixa feridos em Conquista

Brumado: Irregularidades em Licitação pode ser um dos motivos de impeachment do Prefeito

Polícia desarticula quadrilha de receptação de caminhões furtados em Guanambi

Brumado: Em patrulhamento pelo bairro Dr. Juracy, Polícia apreende drogas

LEM: Homem é suspeito de agredir companheira e colocar fogo na casa

46ª CIPM inicia campanha contra a violência doméstica na região de Livramento de Nossa Senhora

Embasa lança Agência Virtual com diversos serviços

Auxílio de R$ 600 tira temporariamente 72% da extrema pobreza, diz ministério

Pagamento do Fies está suspenso até dezembro

Hemoba tem estoque crítico de bolsas de sangue por causa de queda nas doações

Faça seu exame de PSA no LAB

Brumado chega a 247 casos do novo coronavírus e 56 em tratamento

Cerca de meia tonelada de maconha é apreendida em Campo Formoso e Curaçá

Rui diz que cidades com aumento de casos da Covid-19 terão medidas mais duras de restrição

Tanhaçu registra primeiros casos de contaminação pelo novo coronavírus

86% das prefeituras baianas estão irregulares na transparência dos gastos com Covid-19, aponta TCM

Homem ateia fogo em residência e tira a própria vida no município de Livramento de Nossa Senhora

Brumado: Mesmo sendo na modalidade 'pregão presencial', população questiona contrato entre Câmara e casa de peças no valor de 122 mil

Pré-candidato a vereador é preso com carro de luxo roubado em Contendas do Sincorá


Saúde em risco: 30 farmácias clandestinas são fechadas na Bahia

Foto: Luciano Santos l 97NEWS

A sua saúde pode estar correndo perigo. Cerca de 30 farmácias clandestinas, que operavam sem alvará da Vigilância Sanitária, certidão de regularidade do Conselho Regional de Farmácia do Estado da Bahia (CRF-BA) e farmacêutico responsável foram fechadas este ano na Bahia. De acordo com Mário Martinelli Júnior, presidente do CRF-BA, as drogarias clandestinas estão espalhadas por todo o estado, não há uma concentração maior em uma localidade específica baiana. Ele explica que existe uma diferença entre farmácia clandestina e irregular. A primeira opera sem passar pelos requisitos das legislações sanitárias e lei federais, comercializando os medicamentos sem alvará da Vigilância e um farmacêutico como responsável técnico. Já o estabelecimento irregular perante o Conselho “é aquele que contrata um farmacêutico, dá entrada no alvará, depois demite o farmacêutico e não contrata mais, porém, continua funcionando. Então ela só tem o alvará no início, porque o farmacêutico quando é demitido ele tem por obrigação recolher o alvará e entregar na vigilância sanitária”, explica Martinelli, acrescentando que só o profissional graduado em Farmácia pode solicitar as permissões de funcionamento das drogarias junto à Vigilância Sanitária e CRF de cada estado. Conforme Mário Martinelli Júnior, havia uma grande quantidade de farmácias clandestinas na Bahia, mas devido às fiscalizações o número foi reduzido. Contudo, o presidente esclarece que esse número de estabelecimentos operando com irregularidades pode ser transitório, já que no período entre a demissão de um farmacêutico e a contratação de outro, o sistema do CRF-BA automaticamente enquadra a farmácia como irregular, pois está sem o profissional, que deu baixa nas licenças no Conselho e na Vigilância. 

 



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário