ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Vitória da Conquista registra aumento no número de picadas de escorpiões

Maxxnet lança promoção para o Dia dos Pais

WhatsApp já permite sair de grupo sem alarde e escolher quem pode ver você online

Parque Tecnológico da Bahia irá receber mais de R$ 9 milhões de investimento

Brumado: Câmara de Vereadores promulga lei que reserva vagas de estacionamento para gestantes, lactantes e pessoas com crianças de colo

Bom Jesus da Lapa reúne 600 mil fiéis em evento religioso

Brumado: Adolescente de 14 anos é encontrada na casa de uma amiga

Corpo de idosa chilena é encontrado em estado de decomposição no interior da Bahia

Brumado: Família pede ajuda para localizar adolescente de 14 anos

Ministério da Saúde lança Campanha Nacional de Vacinação

Brumado: Polícia apreende homem após colocar fogo em residência no bairro Olhos D'água

Seleção de advogados de Brumado vence Serrinha e avança para semifinal da Copa CAAB

Empresa Gel Sol de Brumado recebe prêmio nacional da Intelbras

Brumado: Município investiga primeiro caso suspeito de varíola dos macacos

MP da Bahia lança novo número para atendimento ao cidadão

Inflação muda comportamento dos brasileiros, diz pesquisa

Caminhoneiros começam a receber benefício emergencial nesta terça

TSE divulga patrimônio de sete presidenciáveis; o maior valor ultrapassa 24 milhões

Confira os especialistas da semana na Clínica Mais Vida em Brumado

Vem aí o 13º Agosto Gospel


Rede de Farmácias Pague Menos é condenada a pagar R$ 40 mil por venda de remédio errado

(Foto: Reprodução)

A rede de farmácias Pague Menos foi condenada a pagar R$ 40 mil de indenização a uma família por ter vendido uma medicação errada, receitada para uma criança, no município de Eunápolis. De acordo com a decisão da Justiça, a mãe e a filha serão indenizadas, cada uma, com R$ 20 mil. Segundo o portal G1, a rede de farmácias chegou a recorrer da decisão quando foi condenada em primeiro grau, mas o recurso da empresa foi negado pelo Tribunal de Justiça (TJ-BA). Em nota, a companhia afirmou que "é uma empresa ética, que está sempre atenta em prestar o melhor serviço e o melhor atendimento à população". O caso aconteceu em 2015, quando a mãe da criança, que tinha com pouco mais de um ano, levou a filha para o hospital quando ela apresentou os sintomas de febre. Na unidade, foram prescritos três remédios, dentre eles eritromicina oral. Ao chegar na farmácia, um funcionário teria vendido, no local do medicamento correto, ilosone tópico 20 mg/ml, apontado como genérico da droga eritromicina, prescrita no receituário. A mãe então passou a administrar o remédio errado na filha, que começou a apresentar lesões na mucosa da boca, perda de peso, vômitos, desidratação, sangramento de gengivas, estomatite, dentre outros sintomas. A menina chegou a ficar internada durante quatro dias, no Hospital Regional de Eunápolis.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário