ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Brumado: PSD não deverá sair das mãos do advogado Thiago Amorim

Brumado: Projeto de Lei que prevê empréstimo de R$ 5 milhões volta à pauta do Legislativo

Auditoria vai apurar como 17 municípios baianos fizeram gastos em saúde

Apae de Brumado realizará assembleia geral ordinária para eleição da nova diretoria executiva

BA-148: Motociclista de 37 anos morre após sofrer acidente próximo ao distrito de 'Fazendinha'

Incêndio de grandes proporções atinge área de vegetação em Rio de Contas

PodoClin, Podologia Avançada em Brumado

Brumado: Tempo continua quente na Região Sudoeste e pode chover na quinta-feira (24)

Modelo brumadense realiza sonho de desfilar na São Paulo Fashion Week

Maetinga: Motorista de 36 anos morre em capotamento na BA-263

Lagoa Real: Idoso morre carbonizado após tentar apagar fogo em lavoura

Perseguição policial na BR-116 termina com 200 kg de maconha apreendidos em Conquista

RotSat: Rastreamento veicular com qualidade, eficiência e segurança

Primeira missa a Santa Dulce dos Pobres leva milhares de fiéis à Salvador

Livramento de Nossa Senhora: Jovem de 29 anos é morto a facada durante briga com amigo

Brumado: Recém-nascido com problemas respiratórios é transferido de UTI aérea para Salvador

Com máscara de oxigênio suja, hospital usa copo descartável como substituto e reanima bebê

Idosa de 75 anos dá a luz a um bebê; pai da criança tem 80 anos

Brumado: 'A situação política está muito favorável para o PT', afirma ex-prefeito

Bahia: Tribunal de Justiça derruba liminar e restabelece uma única inspeção veicular por ano


UFBA e mais 15 universidades entram em greve

(Foto: Reprodução)

Aderindo à greve nacional decretada por professores e funcionários de universidades federais de 16 estados, os docentes da Universidade Federal da Bahia (UFBA) decidiram no fim da tarde de ontem (28), em assembleia, parar as atividades de imediato. Com uma votação que teve 212 a favor da greve e 82 contra, os servidores iniciam a sexta-feira de “braços cruzados”. Após decretar adesão ao movimento nacional, os docentes da universidade baiana fizeram outra votação para decidir a data de início da greve. Por contraste, foi decidido que as aulas seriam suspensas já na noite de ontem. No entanto, professores de algumas faculdades, como a Faculdade de Comunicação, devem manter as aulas até o fim do semestre, previsto para o dia 11 de julho. Alunos e professores lotaram a reunião que aconteceu no Pavilhão 1, em Ondina. A assembleia precisou ser realizada na área externa, com quase duas horas de atraso, devido à grande quantidade de pessoas. Docentes tiveram cerca de três minutos para discursar, e a greve foi decretada como forma de pressionar o governo a ampliar o repasse às universidades federais, mesmo com o corte de R$ 9,42 bilhões no orçamento do Ministério da Educação.  Assuntos como a falta de assistentes na Faculdade de Odontologia da UFBA foram destacados. A pauta de reivindicações também inclui reestruturação da carreira e aumento de investimentos nas universidades federais. Na assembleia realizada na última quinta-feira (21), o reitor João Carlos Salles assumiu que a UFBA tem uma dívida de R$ 28 milhões, referente ao ano de 2014. Também decretaram greve as universidades federais de Alagoas, Amapá, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Piauí, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte,  Rondônia, Sergipe e Tocantins.  Docentes e funcionários de universidades de outros estados devem realizar assembleias nos próximos dias para decidir se participam ou não do movimento nacional, que já havia sido anunciado pelo Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes-SN), após decisão em 16 do mês corrente.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário