ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Paramirim: Polícia Civil prende acusado que matou mulher e feriu homem na porta de casa

Batida entre carro e caminhonete mata idosa e deixa quatro feridos em Vitória da Conquista

Mês das Crianças na Marcelo Esportes, conheça nosso showroom de brinquedos

Menino de quatro anos morre ao tentar defender a mãe de ataque do padrasto

Brumado: Paciente do CAPS desmente denuncia de carta e diz, 'se existe um paraíso, lá é o lugar'

Brumado: Motorista bate em motociclista, abandona veículo e foge do acidente

Brumado: Alunos de escolinha de futebol do São Felix comemoram o 'Dia das Crianças' e recebem palestras

RotSat: Rastreamento veicular com qualidade, eficiência e segurança

Irmã Dulce é canonizada pelo Papa Francisco e se torna a primeira santa brasileira

Brumado: PM apreende homem de 27 anos como moto roubada

34ª CIPM entrega brinquedos no Dia das Crianças em Brumado

Morre aos 61 anos Agamenon Coqueiro, ex-prefeito de Aracatu

Sesab assina ordem de serviço para construção de Hospital do Câncer em Caetité

Brumado: Moradores e comerciantes reclamam de falta de água na região da 'Feira Livre'

Fenômeno raro é visto em cidades do Nordeste

Confira os especialistas da semana na Clínica Mais Vida em Brumado

Homem joga gasolina e coloca fogo na sobrinha em Livramento de Nossa Senhora; mulher teve 80% do corpo queimado

Novo coordenador fala da expectativa em assumir a 20ª Coorpin de Brumado

CONSEG aprova projeto de enfrentamento à violência contra mulher em Brumado


Liminar da justiça paralisa obras do Porto Sul em Ilhéus

Foto: Divulgação

Uma liminar expedida na última terça-feira (9) pelo juiz Alex Venícius Campos Miranda, da Comarca de Ilhéus, determinou a interdição imediata das obras do Porto Sul. De acordo com a decisão, a área de pouco mais de sete hectares escolhida para construção, localizada no distrito de Aritaguá, não pertenceria ao estado da Bahia. O texto afirma que de maneira arbitrária e sem pagamento de indenização, os réus, o Estado da Bahia e a Bahia Mineração S.A (Bamin), estariam tentando ocupar o terreno e retirando os atuais ocupantes dos 61 lotes para instalação do Complexo Portuário e de Serviços Porto Sul. A área em questão teria sido desmembrada de um terreno maior, ocupado na década de 60 e loteada a partir dos anos 90. Três outras ações foram consideradas pelo juiz, segundo a liminar, o objetivo delas seria impedir que os réus ameacem ou esbulhem a posse sem antes negociar e indenizar. O Estado, em um parecer emitido pela Procuradoria Geral do Estado, alega que o imóvel tem natureza devoluta. O Ibama, no momento do licenciamento do empreendimento, indicou a necessidade de idenizar os possuidores. Como decisão, uma audiência de justificação foi marcada para dia 27 de agosto, onde os réus deverão apresentar laudos e documentos de avaliação da área e a cópia integral da Discriminatória Administrativa, que o Estado afirma ter apresentado aos ocupantes. 



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário