ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Construção de sede da Unidade do Corpo de Bombeiros em Brumado aguarda liberação do Grupamento de Bombeiros de Vitória da Conquista

Conquista: Aeroporto Glauber Rocha marca nova fase no turismo de negócios

Brumadense que pesava 140 kg, perdeu 50 kg com exercícios e dedicação

Morro do Chapéu: Caçador mata jiboia de 3 metros em e encontra veado na barriga

Brumado: Secretário diz que ponte entre os bairros Dr. Juracy e São Jorge tem previsão de entrega para três meses

Brumado: Justiça Estadual realizará leilão de imóveis e veículos no dia 25 de julho

Líder de grupo terrorista revela plano para matar Presidente da República, diz revista

Homem arranca órgão genital do amante da esposa com tesoura após flagrar traição

Reumatologia é na Clínica Master com Dr. Kayson Lima

Brumado: Escritor José Walter lança mais dois livros; 'Bissextas' e 'Cartas Trocadas'

Inusitado: Motorista abandona carro após ser parado em blitz na Praça da Prefeitura, em Brumado

Aeroporto Glauber Rocha: Presidente Bolsonaro rebate; 'Dinheiro é do povo, não meu, nem de Rui Costa'

Animal solto na pista causa acidente e deixa motociclista ferida no anel viário da BR-030, em Brumado


Liberação de R$ 600 milhões do BB para Rui em ano eleitoral irrita aliados de Temer

Foto: Anderson Riedel / Planalto

Os R$ 600 milhões liberados recentemente pelo Banco do Brasil (BB) ao governo da Bahia têm irritado os aliados do presidente Michel Temer (PMDB). De acordo com informações da colunista Andreza Matais, no Estadão, DEM e PPS estão descontentes porque a verba chega para o petista Rui Costa justamente no ano eleitoral de 2018, quando seu principal oponente é ACM Neto (DEM). Segundo a publicação, apoiador do prefeito de Salvador, o baiano Arthur Maia (PPS) chegou até a cogitar deixar a relatoria da Previdência, em revide à liberação de Temer. O senador Otto Alencar (PSD-BA), aliado de Rui, no entanto, diz que o presidente prometeu o empréstimo em troca da ajuda dos deputados baianos do partido na votação da segunda denúncia contra ele. Embora os cinco parlamentares do PSD da Bahia tenham votado contra Temer, a presença deles no plenário ajudou a garantir a sessão que decidiu pelo arquivamento da acusação. A colunista destaca ainda que o empréstimo saiu dois meses após a votação, quando já havia uma ordem judicial para que o dinheiro fosse liberado.  



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário