ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Malhada de Pedras registra primeiro caso de Covid-19, o novo Coronavírus

Morre professor da UNEB de Brumado Ruivaldo Macedo Costa, vítima de câncer

Polícia Civil faz operação contra empresa que deixou de entregar respiradores a municípios da Bahia

Bahia tem 709 novos casos e passa de 18,3 mil registros de Covid-19

Macaco de espécie ameaçada de extinção é resgatado em Lençóis

Urandi registra primeira morte por coronavírus na cidade

Brumado 31 casos de coronavírus e 17 pacientes com o vírus ativo

Galpão com 28 infectados por covid-19 é incendiado em Campo Alegre de Lourdes

Brumado registra mais uma cura do Covid-19, o novo Coronavírus

Ônibus apreendido com motorista infectado com Coronavírus passará por desinfecção em Brumado

Confira os especialistas da semana na Clínica Mais Vida em Brumado

Em vídeos da semana, Fabrício Abrantes fala sobre políticas para a família do campo e 'sentimento de mudança' em Brumado

BA-148: Motorista de caminhão surta e tenta invadir casas na comunidade de Fazendinha

Intenção de consumo cai para 18,3% na Bahia

Viatura da PM bate em muro durante perseguição em Licinio de Almeida

Valec e Exército assinam contrato para retomada das obras da Fiol em 60 dias

Mais de 21 mil litros de cerveja são apreendidos por sonegação fiscal em Conquista

Brumado registra 28 casos confirmados do Covid-19; 15 estão ativos

Operação conjunta da Policia Militar e Prefeitura fecha bares irregulares em Brumado

Brumado: Bombeiro Civil faz orientações de segurança com manutenção de gás de cozinha


Cristo está acima deste tipo de debate, diz juiz em decisão que nega suspensão de peça com travesti representando Jesus

(Foto: Reprodução)

O juiz da 11ª Vara Cível e Comercial de Salvador, Benício Mascarenhas Neto, indeferiu o pedido de suspensão da peça teatral “O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu”, que traz como protagonista um Cristo travesti. A decisão foi expedida na segunda-feira (30). Após uma liminar ter impedido a encenação no Espaço Cultural Barroquinha, a apresentação ocorreu no Teatro do ICBA, na Avenida Sete de Setembro. “A peça, ao retratar Jesus Cristo de forma diversa, em relação a sua sexualidade, quis corporificar em um homem, incontestável, em outro, que sofre preconceitos diários, em suas diversas formas. Em nenhum momento, percebi qualquer ato que pudesse desqualificar Jesus Cristo, ao contrário, faz uma comparação atual do sofrimento deste magnífico homem, com outro de sexualidade diversa da sua, mostrando a incompreensão e a intolerância humana”, diz o magistrado em seu despacho. Em sua decisão, o juiz argumenta que Jesus Cristo está “acima deste tipo de debate, que nada acrescenta e só traz sofrimento e rejeição a quem é discriminado por sua opção sexual”. Ele acrescenta também que a “intolerância, seja de que tipo for, não ajuda em nada. Acredito na liberdade de expressão, desde que não incita ao ódio ou a discriminação, o que não é o caso em debate nesta autos”. Por fim, ele decide que “diante do exposto, entendo prejudicada a liminar e, mesmo que não estivesse, indeferiria o pedido”.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário