ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Brumado: PSD não deverá sair das mãos do advogado Thiago Amorim

Brumado: Projeto de Lei que prevê empréstimo de R$ 5 milhões volta à pauta do Legislativo

Auditoria vai apurar como 17 municípios baianos fizeram gastos em saúde

Apae de Brumado realizará assembleia geral ordinária para eleição da nova diretoria executiva

BA-148: Motociclista de 37 anos morre após sofrer acidente próximo ao distrito de 'Fazendinha'

Incêndio de grandes proporções atinge área de vegetação em Rio de Contas

PodoClin, Podologia Avançada em Brumado

Brumado: Tempo continua quente na Região Sudoeste e pode chover na quinta-feira (24)

Modelo brumadense realiza sonho de desfilar na São Paulo Fashion Week

Maetinga: Motorista de 36 anos morre em capotamento na BA-263

Lagoa Real: Idoso morre carbonizado após tentar apagar fogo em lavoura

Perseguição policial na BR-116 termina com 200 kg de maconha apreendidos em Conquista

RotSat: Rastreamento veicular com qualidade, eficiência e segurança

Primeira missa a Santa Dulce dos Pobres leva milhares de fiéis à Salvador

Livramento de Nossa Senhora: Jovem de 29 anos é morto a facada durante briga com amigo

Brumado: Recém-nascido com problemas respiratórios é transferido de UTI aérea para Salvador

Com máscara de oxigênio suja, hospital usa copo descartável como substituto e reanima bebê

Idosa de 75 anos dá a luz a um bebê; pai da criança tem 80 anos

Brumado: 'A situação política está muito favorável para o PT', afirma ex-prefeito

Bahia: Tribunal de Justiça derruba liminar e restabelece uma única inspeção veicular por ano


Cristo está acima deste tipo de debate, diz juiz em decisão que nega suspensão de peça com travesti representando Jesus

(Foto: Reprodução)

O juiz da 11ª Vara Cível e Comercial de Salvador, Benício Mascarenhas Neto, indeferiu o pedido de suspensão da peça teatral “O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu”, que traz como protagonista um Cristo travesti. A decisão foi expedida na segunda-feira (30). Após uma liminar ter impedido a encenação no Espaço Cultural Barroquinha, a apresentação ocorreu no Teatro do ICBA, na Avenida Sete de Setembro. “A peça, ao retratar Jesus Cristo de forma diversa, em relação a sua sexualidade, quis corporificar em um homem, incontestável, em outro, que sofre preconceitos diários, em suas diversas formas. Em nenhum momento, percebi qualquer ato que pudesse desqualificar Jesus Cristo, ao contrário, faz uma comparação atual do sofrimento deste magnífico homem, com outro de sexualidade diversa da sua, mostrando a incompreensão e a intolerância humana”, diz o magistrado em seu despacho. Em sua decisão, o juiz argumenta que Jesus Cristo está “acima deste tipo de debate, que nada acrescenta e só traz sofrimento e rejeição a quem é discriminado por sua opção sexual”. Ele acrescenta também que a “intolerância, seja de que tipo for, não ajuda em nada. Acredito na liberdade de expressão, desde que não incita ao ódio ou a discriminação, o que não é o caso em debate nesta autos”. Por fim, ele decide que “diante do exposto, entendo prejudicada a liminar e, mesmo que não estivesse, indeferiria o pedido”.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário