ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Confira os especialistas da semana na Clínica Mais Vida em Brumado

Brumado: Trabalhadores da Endicon são demitidos e temem 'calote' de empresa

Brumado: Preso em flagrante tem ataque de fúria, agride policiais e quebra objetos de delegacia

PM apreende drogas e pássaros silvestres em Rio de Contas

Acesse a TV Templo dos Milagres no Youtube e seja abençoado

Brumado: Mega estrutura está sendo montada para o Verão VIP com ingressos limitados

O Tema Livre Podcast desta semana recebeu o 'MC Naip Bronka'

Brumado: Subnotificação dos casos de Covid esconde números reais da doença

Cinco morrem e mais de 70 são presas em operação da PM na Bahia

Homem mata pastora de 84 anos a pauladas na porta de igreja

Há 41 anos, mulher procura avós que possivelmente moram em Brumado ou Caetité

Operação Força Total intensifica policiamento na Bahia

Dr. Felipe Leão, médico da Clínica Mais Vida, alerta sobre a importância da realização do check-up

Operação da PF prende homem que divulgou vídeo de estupro de criança


'Saí da lista do governador, mas continuo na lista do partido', anuncia Pinheiro

Foto: Divulgação

O senador baiano Walter Pinheiro, um dos quatro pré-candidatos petistas à sucessão do governador Jaques Wagner, assegurou nesta quinta-feira (28) que mantém seu nome à disposição do partido para ser o indicado para concorrer à eleição de 2014, apesar da antecipação do governador Jaques Wagner  sobre sua preferência pelo secretário da Casa Civil, Rui Costa. “Eu saí da lista do governador, mas continuo na lista do partido. Não apresentei só meu nome, mas um conjunto de propostas e o desafio do povo que estava comigo na plenária de sábado , para prepararmos um grupo de trabalho para caminhada de 2014. Isso continua de pé. Farei essa pergunta amanhã à tarde: e aí, PT?”, anunciou em entrevista ao jornalista Samuel Celestino no programa Bahia Notícias no Ar, da Rede Tudo FM. O senador contou que ainda não recebeu oficialmente a resposta do governador em relação à decisão de quem será o candidato e que já conversou com o secretário estadual do Planejamento, José Sérgio Gabrielli, sobre a necessidade de manter as pré-candidaturas para os membros do diretório e da executiva da sigla. “Vi muita gente falar que era importante eu e Gabrielli retirarmos o nome, mas acho que nossa contribuição não pode ser retirada dessa forma, por cada um de nós. Insisto com a tese de que, em vez da retirada de três, é melhor a escolha de um”. Ao reiterar que o processo dentro do PT foi “extremamente antecipado”, Pinheiro considerou a declaração de Wagner como “posição do líder de uma aliança” que precisa estar associada à posição de um partido. “Na mão do governador e do partido existe uma lista com quatro nomes. Espero que não seja a lista de Schindler. Perguntaram que força eu estava usando pra poder manter meu nome e respondi que é a força da estrutura de um partido e a história da minha vida como membro do partido, na atuação parlamentar e no comprometimento que sempre tive com as políticas públicas para a Bahia. Entregamos ao governador e ao partido nosso nome como opção. Cabe a resposta dos dois”, pontuou.

BN



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário