ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Petrobras põe direitos de potássio na Amazônia à venda

MP autoriza exploração de minérios nucleares por setor privado

Psicóloga atende na Pax Nacional; agende já sua consulta

Petrobras reduz preços de venda de gasolina para as distribuidoras a partir desta terça-feira (16)

Brumado: Vitimas do grave acidente na BR-030 foram identificadas

FGTS vai distribuir R$ 13,2 bilhões em lucro aos trabalhadores

Chegou em Brumado, Auto Diesel: O melhor preço da Bahia!

Brumado: Dois jovens morrem na BR-030 após moto ser atingida por carro

Pai tenta matar o próprio filho com golpe de faca em Tanque Novo

Brumado: Professora de matemática do IFBA sofre AVC e morre cinco dias depois

RotSat: Rastreamento de veículos ou de sua frota!

Eleitor tem até quinta-feira (18) para pedir voto em trânsito

Confira os especialistas da semana na Clínica Mais Vida em Brumado

Mega-Sena sorteia prêmio de R$ 27 milhões

Universidades Estaduais Baianas apoiaram Carta Aberta à Democracia

Brumado: Duas mulheres ficam feridas em acidente na BA-148

Deputados e senadores querem aumentar os seus salários para R$ 36,8 mil


Brumado: Prefeito Aguiberto visita Barragem e já formata planejamento de emergência

Foto: PMB

O grande volume de águas que vem descendo com o Rio do Antônio já está colocando as autoridades em alerta, já que existem riscos de uma possível enchente nas regiões ribeirinhas. O prefeito Aguiberto Lima Dias, preocupado com a situação, cancelou seus compromissos particulares e visitou a Barragem do Rio do Antônio e também algumas localidades às margens do referido rio para averiguar “in loco” a realidade dos fatos, para que medidas emergenciais possam ser tomadas, caso haja um agravamento da situação. Junto com populares, o gestor acompanhou a vinda das águas da ponte do Bairro São Jorge, onde ficou patente que o volume das águas é grande e que, caso continue as chuvas continuem com a mesma densidade o risco de desabamentos e alagamentos é real. O prefeito também está fazendo de comunicar aos proprietários de residências que ficam às margens do rio e dos riachos que as escolas municipais já estão sendo preparadas para receber desabrigados, caso ocorram enchentes. A cheia do Rio do Antônio não acontece há muitos anos; a última de maior densidade ocorreu em 1968, quando houve vários desabamentos e a população ficou muito assustada. 

Ascom/PMB



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário