ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Confira os especialistas da semana na Clínica Mais Vida em Brumado

Eleições 2020: Servidor público Diego Azevedo lança pré-candidatura à Câmara de Brumado

Brumado: PM apreende menor que invadiu mercearia, furtou celular e dinheiro no Irmã Dulce

Eleições 2020: 77 partidos estão em fase de criação no Brasil

Brumado: Município está entre as cidades da Bahia com maior índice de infestação do aedes aegypti

Brumado: Morador cria bode solto e irrita vizinhos na comunidade de 'Passa Vinte', próximo a Itaquaraí

Brumado: 'Prefeitura não dispõe de terreno para ampliação do cemitério no distrito de Ubiraçaba', diz secretário de administração

Quatro morrem após batida entre carro e caminhão na BR-116, região de Cândido Sales

Homem sofre tiro acidental ao manusear arma de fogo em Livramento de Nossa Senhora

Brumado: Estacionamento desordenado na Praça Heráclito Antônio Cardoso provoca confusão

Bebê morre ao levar choque elétrico em geladeira

Polícia Civil já tem uma linha de investigação do duplo homicídio registrado em Aracatu

Brumado: Mais um brumadense leva R$ 10 mil na 'Nota Premiada' do Governo


Orçamento 'impositivo' é aprovado por CCJ do Senado

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou nesta quarta-feira (30) a proposta que estabelece o chamado Orçamento “impositivo”, que torna obrigatória a execução de emendas parlamentares ao Orçamento da União, informa a Folha. O colegiado já havia aprovado no começo de outubro a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) referente ao tema, mas a matéria retornou à CCJ para a avaliação de emendas ao texto. Em ano pré-eleitoral, a comissão ampliou de 1% para 1,2% a destinação das emendas parlamentares individuais, o que equivale a um aumento superior a R$ 1 bilhão nos valores dos recursos. A primeira versão da proposta determinava o percentual de 1% da receita corrente líquida orçamentária, mas o Palácio do Planalto negociou a alteração com o objetivo de viabilizar a sua aprovação e de outras matérias de interesse do governo no Congresso, como a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO).



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário