ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Caixa libera saque do FGTS para 9,1 milhões nesta sexta

Brumado: Polícia apreende mulher por tráfico de drogas no bairro Bom Jesus

Após receber resultado de teste de DNA homem mata cinco pessoas e se mata

Presidente da 21ª Subseção da OAB Brumado vai a Salvador para dialogar com OAB, TJ-BA e TRT

Economia Baiana registra alta de 0,8% no terceiro trimestre

Rio do Antônio: Presidente da Câmara de Vereadores é afastado

Sergio Moro comemora aprovação do pacote anticrime na Câmara

'Gato de energia': Operação prende 35 pessoas e recupera 260 milhões de kilowatts este

Brumado: Moradores cobram da prefeitura recuperação de manancial do bairro Olhos D'água

Mais de 70 famílias ficam desalojadas após forte chuva em Itambé

Bahia registrou novos casos de Aids em 2018; Sesab realiza ações de conscientização

Ultrapassado: Comunidade rural de Brumado recebe orelhão 15 anos após solicitação

Profissionais da Sesoc participam de Seminário de Acolhimento Familiar do MP

Brumado: Cipe Sudoeste apreende mulher por tráfico de drogas no bairro Irmã Dulce

Eleições 2020: Fabrício Abrantes recebe apoio do ex-vereador Romar Pereira em Brumado

Menor acusado de vários arrombamentos é apreendido pela Polícia em Brumado

Brumado: Preço alto da carne já afeta o churrasquinho

Conquista: Dupla é presa transportando mais de 50 Kg de maconha em ônibus de turismo

Desembargadores elegem Lourival Trindade como novo presidente do TJ-BA

Brumado: Loja Maçônica Manoel Carvalho promoverá primeiro 'Costelão Maçônico'


Projeto transforma lixo em artesanato na zona rural de Brumado

Foto: Luciano Santos l 97NEWS

Alertas sobre a proteção ambiental têm se tornado cada vez mais urgentes, pois cientistas especulam o curto tempo para evitar que o planeta atinja um alto nível de aquecimento global e provoque fenômenos extremos. É pensando em um desenvolvimento sustentável e em uma forma de colaborar com o meio ambiente que uma moradora da zona rural de Brumado deu início à um projeto que encanta a criançada e, um trabalho de coleta e reciclagem de vários materiais. Criado pela moradora da comunidade de Maria Nova, Clemilda Ribeiro Leite, o projeto tem o objetivo de desenvolver uma rede local para reutilização de papel, madeira, vidro, pano ou qualquer tipo de material em artesanatos e utensílios. Executado na comunidade de Maria Nova, o projeto proporciona o recolhimento e limpeza das peças e a realização de oficinas de produção, envolvendo crianças e adultos. "É muito gratificante transformar por exemplo uma lata de leite em uma peça que você pode guardar doces", conta a artesã. Por ser na zona rural, a área não possui aterro sanitário, isso favorece o acúmulo de lixo. Assim, a reciclagem é muito necessária. Com a iniciativa, a moradora passou a utilizar o lixo na produção de suas artes. Ao mesmo tempo em que criam quadros, jarros, vasos de plantas, lustres, tecidos pintados, pote de doces entre outros artigos, contribuem na redução da quantidade de lixo que tinham como destino a comunidade e o meio ambiente. “As crianças me ligam perguntando que horas vai ser o artesanato, então isso é muito bom, nos fortalece. Esclareceu a moradora que pretende expandir o projeto para outras comunidades. "Gostaria que esse projeto crescesse na zona rural do município. Isso vai ajudar as nossas crianças a terem uma atividade nas horas vagas”, conta, orgulhosa, a moradora Clemilda Ribeiro. 

Foto: Luciano Santos l 97NEWS

Ela ainda esclarece que a ajuda da comunidade favorece bastante para a manutenção do projeto. "Nós temos aqui vários colaboradores que nos doam materiais como, panos, filtros de café, casca de ovo, tudo isso a gente reutiliza", disse ao 97NEWS. Além da produção de objetos de decoração e mobília, engrenados pelos bons resultados, nos dias, 03 e 04 deste mês, houve na comunidade, a 'Segunda Feira de Artesanato', onde os materiais foram vendidos para a própria comunidade. "Foi muito bom, perdeu quem não foi, as próprias crianças montaram as barracas e venderam o material". Outro ponto positivo do projeto é a troca de conhecimentos e experiências com a comunidade e o aumento da responsabilidade ambiental, em função da importância de um projeto como esse que hoje conta com 9 pessoas entre crianças e adultos. "Por incrível que pareça, muitos me perguntam, o quanto eu cobro pelo ensino. Mas na verdade eu não cobro nada, só por estar ao lado delas e ensinando tudo que eu aprendo é prazeroso", conclui Clemilda. Essa interação com a população da comunidade resultou em uma parceria com as crianças. Tanto que na sede da associação, o espaço recebe os alunos para aulas de futebol. "Nós temos além do artesanato, aulas de balé e futebol, uma forma de interagir com as crianças não só no artesanato", relatou a moradora que se encontra sempre aos sábados com a comunidade.

 

Foto: Luciano Santos l 97NEWS


Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário