ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Guajeru: Homem de 40 anos morre após passar a noite ingerindo bebida alcoólica

Gusttavo Lima toma atitude surpreendente ao levar bebida na cara durante show; veja o vídeo

Idoso de 76 anos é encontrado morto dentro de residência na cidade de Guajeru

Feriado de Corpus Christi e São João registrou 16 mortes nas rodovias estaduais, diz PRE

Super reflexo: Mãe salva filho de cair do quarto andar de prédio; veja o vídeo

Brumado: Escolas da rede municipal recebem projeto musical gratuito

Estudantes de engenharia se unem e revitalizam Apae em Brumado

Município de Caetité recebe 'Rota da Independência'

Ministro da Economia estima que preço do gás pode cair 40% em dois anos

Médicos brasileiros operam intestino de feto dentro do útero da mãe

Bandidos roubam R$ 12 mil em joias de salão de beleza em Brumado

Previsão do Tempo: Mínima pode chegar aos 12ºC na madrugada de quarta-feira (26)

Brumado: Prefeito terá que devolver mais de R$ 4 milhões com recursos pessoais

Serviço do Disque-Denúncia passa a ser disponibilizado na internet e permite envio de fotos e vídeos de suspeitos

Caetité: Família oferece recompensa para quem encontrar motorista desaparecido após roubo de veículo

Pai é preso após agredir com arma namorado da filha em Itapetinga

Sob vaias, Banda Calcinha Preta sobe ao palco em show na cidade de Dom Basílio

Livramento de Nossa Senhora: Motociclista morre em acidente na rodovia BA-152

Prefeitura de Brumado celebra termo com a Apae para atendimento especial com pessoas com deficiência

Iphan deseja declarar forró como patrimônio imaterial


Brumado: Com mais de 40 anos de história, moradores cobram revitalização do Mercado do São Felix

Foto: Luciano Santos l 97NEWS

Uma parte essencial da história de Brumado pode perder seu capítulo após o esquecimento do poder público. O Mercado do São Felix, localizado na praça Dr. Chagas Diniz, agora com 42 anos preserva uma estrutura que já abrigou vários comerciantes, não só do próprio bairro, mas como outros feirantes de Brumado e Região. Construído em 1977, o local funcionava na época como uma feira em que os produtores rurais vendiam suas mercadorias. Com o passar do tempo, naturalmente o Mercado se tornou o grande centro de compras do bairro, e agora se encontra praticamente um deserto, ao não ser pelos poucos clientes que ainda entram para comprar na barraca de dona Maria Ribeiro de Sá, que resiste ao tempo vendendo frutas e verduras em seu box. Em entrevista ao 97NEWS, a comerciante diz que o Mercado ainda está limpo e organizado graças ao seu filho, que por conta própria realiza pequenas reformas na estrutura do prédio. "Aqui a gente cuida de tudo, compramos material de limpeza, pagamos para limpar, até a energia somos nós que pagamos, com exceção apenas da água, que ainda é a prefeitura que paga", relata a comerciante. Maria que há 25 anos trabalha no Mercado, disse ainda que os moradores cobram melhorias do local, trazendo mais conforto aos clientes. "Tem muitos boxes vazios aqui, mas para os comerciantes trabalharem, é preciso uma melhoria no local, e muitos preferem ficar do lado de fora com as barracas montadas por eles", disse ao 97NEWS. 

Foto: Luciano Santos l 97NEWS

O filho de dona Maria, o açougueiro Mazinho afirmou que todos os anos paga do próprio bolso para pintar e realizar pequenos reparos na estrutura do prédio. "Desde que os comerciantes foram saindo daqui, ficando apenas eu e minha mãe, faço reformas no local. Já trocamos a fiação, pintura, reforçamos a segurança com alarmes, tudo isso porque não temos um guarda aqui para proteger o prédio", afirmou o açougueiro que ainda completou destacando que luta dia a dia para manter a tradição para os moradores. "Por está mais próximo deles, os moradores preferem vir aqui, ao invés de ir a feira livre, que fica um pouco distante do bairro", esclareceu Mazinho. Moradora do bairro há mais de 40 anos, Edinalva Rosa lembra que o Mercado do São Felix já ajudou a matar a sede de muita gente em Brumado na escassez de água. "Aqui tinha um poço, que na época de seca, os moradores vinham para pegar água, já peguei vários e vários baldes de água aqui, muita saudade desse Mercado", lembrou a moradora. Outro morador da localidade, Djalma Silva Sinval, de 69 anos conta que o Mercado para muitos era a diversão de domingos, onde o fluxo de clientes era muito grande. "Infelizmente uma história de Brumado que está se acabando aos poucos. Muito triste isso. Sabemos que tudo se modernizou, mas a nossa cultura e a nossa história jamais deve morrer", alertou o aposentado.

 



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário