ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Banco do Brasil vai contratar adolescentes para auxiliarem como jovem aprendiz em Brumado

Pai é acusado de sequestrar filha de 11 meses após fim de relacionamento com a ex-mulher

Reunião entre CDL e SMTT discutem sobre atual situação do trânsito e mobilidade em Brumado

Brumado: Unicorp realizou curso de mediação e conciliação em parceria com o Cejusc

Exames detectam alumínio no sangue de três bombeiros de Brumadinho

Jovem denuncia padrasto por tortura e estupro contra ela e a mãe

Bahia: STJ decide quem julga superlotação de presos em delegacias

Principais fraudes sofridas por micro e pequenas empresas envolvem cheques e cartões falsos

Clínica Master: Endocrinologia você encontra aqui

Comerciários de Brumado, Poções e Livramento autorizam o desconto em folha da contribuição sindical urbana

Inusitado: Médico agride mulher em trabalho de parto no Amazonas

Criança de 3 anos atropelada na zona rural de Brumado morre no Hospital Geral em Vitória da Conquista

Brumado: Trabalhadores em educação realizam ato de protesto em frente ao INSS contra a Reforma da Previdência

Durante assalto vítima fica nua para provar a bandido que nao tem mais dinheiro

Idoso morre após ter membros amputados por ataque de pit bulls

Locutor xinga Pabllo Vittar e diz que artista 'não tem música de sucesso'; fãs relatam boicote

Brumado: Criança de 3 anos que foi atropelada por ônibus escolar na Fazenda 'Gameleirinha' segue internada na UTI de Conquista; seu quadro clínico é considerado grave

Brasil: Chamada de 'inimiga' por Bolsonaro em áudios do Whatsapp, Rede Globo se pronuncia

Brumado: 34ª CIPM cria novo 'Whatsapp Denúncia' para o combate ao crime

RotSat: Rastreamento veicular com qualidade, eficiência e segurança


Vigilante recebe auto de infração do SMTT por som alto em motocicleta que atrapalhava pedestres de conversar; ele nega e já recorreu

O vigilante Luan Almeida exibindo a sua motocicleta, garantindo que ela nunca fez serviço de propaganda volante ou coisa do gênero (Foto: Luciano Santos | 97NEWS)

Mesmo estando errado, ninguém gosta de ser multado, e, ainda mais quando se está certo e a multa pode ter sido provocada por uma confusão ou erro de leitura. É essa a situação do vigilante Luan Almeida, de 28 anos, o qual recebeu um auto de infração considerado grave no qual ele foi penalizado com a perda de 5 pontos na CNH, além de uma multa de R$ 195,00, por estar com som alto em sua motocicleta, em uma área residencial, atrapalhando transeuntes e moradores. Luan entrou em contato com o 97NEWS e, de forma contundente, relatou que “eu fiquei muito surpreso, pois isso não ocorreu de forma alguma, minha motocicleta não tem suporta para caixa de som e eu nem trabalho e, nem nunca trabalhei, com propaganda volante, pois sou vigilante”. Ele continuou narrando que “eu, inclusive, conheço vários agentes, os quais me disseram que eu fui premiado” e emendou subindo o tom dizendo que “eu tive que perder dias das minhas férias para tentar resolver o problema, fui ao SMTT e lá não me disseram nada, somente me deram um folha para recorrer. É um absurdo porque na multa está escrito que o agente deu dois silvos para que eu parasse e isso nunca aconteceu”. 

No auto de infração está explícito o fato de som alto que atrapalhava transeuntes (Fotos: Luciano Santos | 97NEWS)

Buscando esclarecer o fato, nossa equipe foi ao SMTT e falou primeiramente com o coordenador de estatísticas Jansen Ricardo que se limitou a dizer que o problema não era de sua competência, mas que o setor já tinha recebido a documentação na qual o vigilante recorreu. Em contato com o superintendente interino do órgão, João Nolasco, o mesmo citou que estava em viagem, mas pediu uma cópia da infração e garantiu que fará toda a apuração e, caso tenha existido falha, ela será totalmente reparada. Nós passamos a cópia do auto de infração e esperamos a resposta que até o momento do fechamento da matéria não foi feita, mas, pelas palavras firmes do superintendente, o caso será totalmente esclarecido. No final, o vigilante ainda observou que “tenho certeza que deve ter existido alguma confusão, pois o fato não aconteceu. Eu recorri e sei que irei ganhar, pois, de forma alguma, iria aceitar levar 5 pontos na carteira e ainda pagar uma multa de R$ 195,00 por uma coisa que eu não fiz”.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário