ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Na Bahia, mais de meio milhão de pessoas fazem menos de três refeições por dia

Alunos denunciam péssimas condições de ônibus escolar em Malhada de Pedras

Vitória da Conquista: Câmara de Vereadores diz que inauguração excluiu povo e opta por não participar

Sindicato de Servidores da Embasa anuncia paralisação de 24 horas nesta terça (23)

Suspeito de aplicar golpe milionário com campanha para filho doente é preso na Bahia

Conquista: Sem a presença da PM, Exército fará a segurança do evento presidencial na inauguração do aeroporto

Bahia é o estado com maior número de mortes por Hepatite B, diz MS

Brumado: Um homem foi preso e um menor apreendido após tentarem arremessar objetos para a carceragem da delegacia

Brumado: Primeiro dia de Área Azul deixa o centro com várias vagas de estacionamento livres

Jovem paulistana de 24 anos deseja realizar sonho de conhecer o pai biológico que provavelmente mora em Brumado

Bahia: Autorizado concurso da Polícia Militar 2019 com 2 mil vagas

Brumado: 'Toda mudança é um processo de adaptação' diz secretário de administração sobre a Área Azul

Brumado: Família da comunidade Sítio São José está sem abastecimento há 8 meses e usa água de vizinhos

Brumado: Amigas solidárias realizará torneio de baleado para arrecadar fundos à Ong AuAu

Proposta popular quer cortar pela metade os salários de prefeito, vice-prefeito e vereadores em Rio do Antônio

Livramento de Nossa Senhora: Jovem sofre acidente de moto e morre após ter 80% do corpo queimado

Tenente Coronel Mucyo Vasconcelos é o novo comandante da 2ª Companhia Independente de Polícia Rodoviária Estadual

Brumado: Cobrança pela Área Azul passa a valer nesta segunda (22)

New Kenko Purificadores: Beba água de qualidade e garanta a saúde para sua família

Brumado: Homem trafega na contramão, bate em veículo e é preso pela PM no bairro São Felix


Vigilante recebe auto de infração do SMTT por som alto em motocicleta que atrapalhava pedestres de conversar; ele nega e já recorreu

O vigilante Luan Almeida exibindo a sua motocicleta, garantindo que ela nunca fez serviço de propaganda volante ou coisa do gênero (Foto: Luciano Santos | 97NEWS)

Mesmo estando errado, ninguém gosta de ser multado, e, ainda mais quando se está certo e a multa pode ter sido provocada por uma confusão ou erro de leitura. É essa a situação do vigilante Luan Almeida, de 28 anos, o qual recebeu um auto de infração considerado grave no qual ele foi penalizado com a perda de 5 pontos na CNH, além de uma multa de R$ 195,00, por estar com som alto em sua motocicleta, em uma área residencial, atrapalhando transeuntes e moradores. Luan entrou em contato com o 97NEWS e, de forma contundente, relatou que “eu fiquei muito surpreso, pois isso não ocorreu de forma alguma, minha motocicleta não tem suporta para caixa de som e eu nem trabalho e, nem nunca trabalhei, com propaganda volante, pois sou vigilante”. Ele continuou narrando que “eu, inclusive, conheço vários agentes, os quais me disseram que eu fui premiado” e emendou subindo o tom dizendo que “eu tive que perder dias das minhas férias para tentar resolver o problema, fui ao SMTT e lá não me disseram nada, somente me deram um folha para recorrer. É um absurdo porque na multa está escrito que o agente deu dois silvos para que eu parasse e isso nunca aconteceu”. 

No auto de infração está explícito o fato de som alto que atrapalhava transeuntes (Fotos: Luciano Santos | 97NEWS)

Buscando esclarecer o fato, nossa equipe foi ao SMTT e falou primeiramente com o coordenador de estatísticas Jansen Ricardo que se limitou a dizer que o problema não era de sua competência, mas que o setor já tinha recebido a documentação na qual o vigilante recorreu. Em contato com o superintendente interino do órgão, João Nolasco, o mesmo citou que estava em viagem, mas pediu uma cópia da infração e garantiu que fará toda a apuração e, caso tenha existido falha, ela será totalmente reparada. Nós passamos a cópia do auto de infração e esperamos a resposta que até o momento do fechamento da matéria não foi feita, mas, pelas palavras firmes do superintendente, o caso será totalmente esclarecido. No final, o vigilante ainda observou que “tenho certeza que deve ter existido alguma confusão, pois o fato não aconteceu. Eu recorri e sei que irei ganhar, pois, de forma alguma, iria aceitar levar 5 pontos na carteira e ainda pagar uma multa de R$ 195,00 por uma coisa que eu não fiz”.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário