ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Brumado: Iniciada a vistoria dos veículos que atuam no Transporte Escolar do município

Caculé: oposição e deputados buscam ampliação da oferta de água para a cidade

Sertanejo de Raiz: Dupla Nadim e Beira-Rio participa de programa na 97FM

Globocop cai na orla da Zona Sul do Recife e deixa dois mortos

Conquista: Em protesto a favor de Lula, integrantes do MST fecham a BR-116; idoso falece durante a manifestação

Sorteio Eletrônico para o ano letivo de 2018 na Rede Municipal de Ensino acontece em clima de tranquilidade

Sorteio eletrônico das vagas para o ano letivo de 2018 terá somente a participação do MP, educadores, conselhos e imprensa; secretária explica os motivos

Inscrições para o Sisu começam nesta terça-feira (23)

Engenheiro civil de Mucugê sofre acidente de carro entre os municípios de Brumado e Sussuarana

Vitória negocia retorno do zagueiro Victor Ramos

Começou a matrícula de estudantes do Ensino Médio que desejam ingressar na rede estadual

Adolescência agora vai até os 24 anos de idade, e não só até os 19, defendem cientistas

Obrigado Brumado! Verão Vip 2018 foi um sucesso

‘Existe claramente uma perseguição política a Lula’, afirma presidente do PT de Brumado

Brumado: Sorteio eletrônico das vagas para o período letivo de 2018 acontecerá nesta terça-feira (23)

Brumado: Vende-se casa com piscina e área de lazer

Ibiassucê: Ginásio de esportes paralisado há anos é concluído com apoio de Waldenor e Zé Raimundo

Brumado: Creche do bairro São José será construída com recursos federais e apoio do município; obra está orçada em mais de R$ 1 milhão

Brumado: Serviço de Internação Domiciliar é implantado no município

Livramento: Advogado acusa PM de agressão com soco no rosto


Para especialistas, poder financeiro terá peso maior nas eleições

Foto: Reprodução

Contratar empresas especializadas em análise de dados e pagar pelo impulsionamento de propaganda nas redes sociais vão favorecer candidatos com mais recursos. Esta é a visão de especialistas ouvidos pelo jornal ‘O Estado de S. Paulo’ sobre o impacto das novas tecnologias na eleição de 2018. Para o professor do Instituto de Ciências Matemáticas e Computação da USP em São Carlos, José F. Rodrigues Júnior, “o poder financeiro de um candidato poderá influenciar no resultado da campanha”. “Isso pode dar uma diferença no resultado final”, disse. O advogado Renato Opice Blum, professor de Direito Digital do Insper, concorda. “Quem tem mais recursos terá acesso a melhores ferramentas”, afirma o advogado. Segundo Opice Blum, era inevitável uma mudança na legislação no que diz respeito à regulação do impulsionamento de propaganda nas redes sociais – antes era proibido. Em sua visão, a nova lei cumpre bem esse papel. “Candidatos, partidos ou coligações podem impulsionar conteúdo, mas não falsear conteúdo ou promover ataques e difamações. Isso é vedado. É uma tentativa de controlar a disseminação de fake news”, disse.

Estudo

Um estudo da Diretoria de Análises de Políticas Públicas (DAPP), da Fundação Getulio Vargas (FGV), mostrou que robôs – programas usados para multiplicar mensagens na internet – foram responsáveis por até 20% do debate político no Twitter e apontou para o risco de deformação do cenário. Essa é uma possibilidade real, afirma professora do MBA em Marketing Digital da FGV Luciana Salgado. “Uma coisa é você se valer de estudos e cruzamento de dados para estudar os anseios do cidadão e promover debates construtivos. Outra é se valer de tecnologia em benefício próprio, o que considero um risco para a democracia”, afirma Luciana.

Fake news na mira do TSE

Conforme o jornal ‘O Estado de S. Paulo’ noticiou no dia 31 de outubro, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) prepara uma força-tarefa para combater a disseminação de fake news nas disputas de 2018. A proliferação de notícias falsas e a atuação de robôs na internet também estão em discussão no Exército, na Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e na Polícia Federal. O objetivo é evitar o impacto negativo de mentiras nas eleições, a exemplo do que ocorreu nas campanhas americanas e francesas, de Hillary Clinton e Emmanuel Mácron. Entidades da sociedade civil, como o Instituto Palavra Aberta, no entanto, reagiram à inclusão do Exército, da Abin e da PF nas discussões, temendo que haja margem para excessos e ameaça à liberdade de expressão. 



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário