'Quebrando preconceitos', segundo casamento homoafetivo é realizado em Brumado

Foto: Luciano Santos l 97NEWS

Simone Alves de Menezes e Iracy Dias Moreira entraram para a história de Brumado na noite de quarta-feira (18). Elas formam o segundo casal homoafetivo (união entre pessoas do mesmo sexo) oficialmente reconhecido na cidade. Depois de confirmarem uma união que já dura seis anos, as duas se casaram com registro em cartório em uma noite excepcional com direito a vestido de noiva e buffet para os convidados. A cerimônia aconteceu em um espaço particular do bairro Santa Tereza. A união estável foi autorizada pelo juiz de acordo com o que está prevista no artigo 1723 do Código Civil determinada pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Em entrevista ao 97NEWS, Iracy disse que a união marca uma nova fase na vida do casal. "Agora somos um casal oficialmente reconhecido, é uma emoção muito grande, estamos muito felizes", comemora. Sobre a quebra de "preconceito" por Brumado ainda ser uma cidade de pequeno porte, Dias relatou que a sociedade está mais consciente e serve como um "paradigma". "Eu aconselho a quem convive juntos há muitos anos, que façam o mesmo abertamente, a sociedade precisa saber que o que importa é você está feliz, seus amigos estarem felizes e sua família aceite essa nova fase de sua vida", disse sorridente. Sobre as barreiras da religiosidade, Iracy Dias destacou que no passado foi muito difícil, mas com o passar dos anos a sociedade abriu sua mente e respeita a vontade do próximo. "O preconceito vem de ambas as partes, mas eu enxergo como uma união normal, minha parceira também, e a gente vive juntos já há seis anos e trabalhamos normalmente como qualquer outra pessoa e fomos aceitas no nosso trabalho, então neste momento as minhas palavras são de muita felicidade", conta. 

Foto: Luciano Santos l 97NEWS

Para Simone Alves o momento é de alegria. Perguntado sobre a visão da sociedade sobre o casamento entre pessoas do mesmo sexo, ela destacou que se os dois se amam, a sociedade tem que respeitar essa decisão. "Para mim é um momento único, e a gente não deve ter vergonha do que a gente é, basta respeitar, não precisa demonstrar a todos o que somos", esclareceu. Tendo pela frente uma barreira a ser rompida, Menezes disse não temer e que espera da comunidade a continuidade do respeito que ele conseguiu até o momento. "A sociedade brumadense é inteligente, todos já me respeitam, assim como respeitam outros casais que já vivem na cidade. Sou muito bem tratada na cidade e tenho muitas amizades", conta que ainda relatou que o brumadense está mais aberta para novas ideologias. "Já foi muito pior, mas atualmente a população abriu mais a mente", diz Menezes. A juíza de paz, Nilva Leite Sertão que realizou a união estável disse que esse não é o primeiro casal homoafetivo que procurou o cartório para oficializar o casamento. "Este é o segundo casamento entre mulheres em Brumado, já tivemos um outro casal que oficializou a união no cartório da cidade. Mas por ser em uma cerimônia aberta ao público, esse casamento de hoje se destaca e abre caminhos para outros casais", avaliou a juíza de paz.