ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Confira os especialistas da semana na Clínica Mais Vida em Brumado

Chuvas abaixo da média na Bahia previstas para junho podem afetar safra de milho, aponta Inmet

Centro Espírita promove feijoada beneficente em Brumado neste domingo (26)

Tudo pronto para o Forró do Sítio Novo 2024 as 17h

PF fecha empresas de segurança que atuavam de forma ilegal em Vitória da Conquista e em mais 16 cidades da Bahia

Prefeitura de Brumado confirma realização de eventos juninos na cidade

Anagé: Policial denunciado pelo MP por estupro de vulnerável é preso no sul baiano

CDL de Brumado solicita instalação de semáforos em vias do centro comercial

Embasa e Bahiagás firmam protocolo de intenção para geração de bioenergia

Policiais de São Paulo poderão parar gravação de nova câmera corporal quando quiserem

Cidade do norte da Bahia registra 88 tremores de terra em um dia

Cem quilos de maconha são apreendidos pela Polícia em Guanambi

Brasil poderá dobrar produção de gás natural em 4 anos

Sextou! Faça seu pedido de frutas e verduras fresquinhas em Bete Fruits


Comissão do Senado aprova projeto de lei obrigando corruptos a ressarcirem o Estado em dobro

Foto: Reprodução

Em votação simbólica, nesta terça-feira (2), a Comissão de Segurança Pública do Senado aprovou um projeto de lei (PL) obrigando infratores que desviarem dinheiro público a ressarcir o Estado em dobro. Essa decisão afeta diretamente quem comete os crimes de peculato (apropriação de dinheiro, valor, ou qualquer outro bem móvel, público ou particular por um funcionário público, também em caso de inserção de dados falsos), concussão (exigência de vantagem indevida, como no caso de "rachadinhas") e corrupção passiva. A proposição é de autoria do senador Paulo Paim (PT-RS), com relatoria de Soraya Thronicke (União-MS) e agora vai para apreciação na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa, que avaliará em caráter terminativo, isto é, sem passar pelo plenário. Durante a votação, apenas senadores da oposição falaram. Esperidião Amin (PP-SC) criticou, por exemplo, a decisão do ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal (STF), de suspender multas estabelecidas a acordos de leniência feitos por empresas envolvidas na Operação Lava Jato.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário