ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Ministério da Saúde amplia público alvo de vacinação contra a dengue para doses próximo ao vencimento

Água e esgoto terão reajuste de 5,8% na tarifa da Embasa

A Clínica Mais Vida realiza diversos tipos de Ultrassonografia com Doppler com equipamento de alta definição e tecnologia

Homem esfaqueia ex-mulher e comete suícidio em Tanque Novo

Filho de vereador é encontrado morto em Caetité

Clínica Santa Clara reforça campanha de doação de sangue

Cantor de seresta preso após terminar show de São João é solto e volta a se apresentar no interior

Clínica Mais Vida informa que estará de recesso entre 22 e 25 de junho

Homens são 98% dos presos por aborto no Brasil, diz Justiça

'Rei da Seresta' é preso após show no interior da Bahia

Brumado: Paulo Henrique é encontrado morto às margens de linha férrea no bairro Dr. Juracy


Repórter 97NEWS: 'Vida na Venezuela não está fácil'; diz indígena que busca vida melhor no Brasil

Eles pedem dinheiro nas ruas de Brumado - Foto: Luciano Santos l 97NEWS

Venezuelanos estão fugindo da crise política e econômica do país presidido por Nicolás Maduro para buscar refúgio em cidades do Brasil. Eles chegam com fome, sede e necessitados de atendimento médico. "Falar sobre a Venezuela me deixa com vontade de chorar. Minha família está passando fome e governo não ajuda", disse ao site 97NEWS Mário Mata, 28 anos, que entrou no Brasil à um mês. Ele conta que ficou por alguns dias em Belém, mas preferiu partir com o grupo de 19 pessoas para a Bahia. "Nós chegamos em uma cidade aqui perto, mas eles deram passagens para virmos pra cá", disse. Mata viaja com a esposa de 26 anos e mais três filhos (entre 1 a 4 anos), e o que ganha nas ruas, alimentas a família e o que sobra paga por uma noite em um hotel ou pousada. "Hotel aqui é muito caro, R$50 por pessoa e não tenho esse dinheiro", diz. Vivendo de agricultura e pesca na Venezuela, Mário não tem experiência com o comércio ou indústria. "Nós vivíamos de agricultura lá, mas aqui vejo que é mais indústria e comércio", afirmou. Os indígenas deixam seu país de origem diante do desabastecimento de itens básicos, da hiperinflação e do aumento da violência, com a ação de grupos armados nos seus territórios, devido ao avanço da mineração. Segundo Mário, falta alimento, roupa e trabalho. "Na Venezuela tudo está caro, não conseguimos comprar, estamos passando fome", disse. Questionado sobre o porquê da ajuda ser apenas em dinheiro, Mata afirmou que é para pagar por um abrigo para as crianças. "O alimento é bom, mas, se for só pela comida, ficamos na rua, e o dinheiro eu consigo pagar por uma moradia e comprar alimentos", explicou.



Comentários

  • Luciana Santos Silva

    "E qual foi a cidade que pagaram a passagem pra eles virem pra Brumado?Eles disseram?"

Deixe seu comentário