ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Durante restrições da pandemia, o trabalhador pode ser prejudicado?; advogado trabalhista esclarece pontos

Artistas bumadenses são selecionados para Mostra Cênica Motin Bahia

Bahia recebe 6ª remessa de vacinas contra Covid-19

Brumado: Novas restrições ampliam dificuldades do 'chapa de caminhão' em conseguir levar sustento para casa

Rui Costa estende toque de recolher na Bahia até 31 de março

Paulo Guedes diz que Brasil pode virar Venezuela em 1 ano e meio

Casos de reinfecção por Covid-19 preocupam Secretaria de Saúde na Bahia

Brumado chega à 400 casos ativos de Covid-19;; 34 estão hospitalizados

Lockdown é suspenso em Brumado e toque de recolher é antecipado para às 19h

Médico é espancado por familiar após alertar sobre riscos da covid-19

Variante brasileira da Covid-19 é mais transmissível, diz pesquisa

Rui Costa e Prefeitos se reúnem para discutir prorrogação de medidas restritivas

Antenas parabólicas vão receber a internet 5G; entenda

Com 76 anos de idade e 51 de profissão, barbeiro resiste a modernidade em Brumado

Bolsonaro zera PIS e Cofins do diesel e do gás de cozinha

Bahia entra com ação no STF para aplicar vacinas sem autorização da Anvisa

Conquista: Dois passageiros são presos por viajar com documento falso

Guanambi: Município adere a decreto que restringe circulação até a próxima segunda (8)

Covid-19 na Bahia: Mortes por dia voltam a aumentar e chegam a 95 na segunda-feira

Supremo garante porte de arma para guardas municipais


Ato contra cortes na educação mobiliza poucos estudantes em Brumado

Foto: Luciano Santos l 97NEWS

O ato contra os cortes no orçamento das universidades e institutos federais pelo Ministério da Educação acabou não reunindo muitas pessoas em Brumado, na manhã desta quinta-feira (30). A manifestação aconteceu no fim da manhã em semáforos das Ruas Dr. Marcolino Moura e Dr. Mário Meira, centro da cidade. No ato, os manifestantes levaram cartazes e gritaram palavras de ordem contra o governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL). “Eu sou estudante e não abro mão de mais pesquisa e educação”, gritaram. Na manifestação, o representante da União dos Estudantes de Brumado, Vanberg Barros, 29 anos, destacou que mesmo com poucos alunos aderindo o movimento devido a direção das escolas não podendo liberar os alunos, mas os que poderam participar mostrou sua insatisfação com o que vem acontecendo na educação. "Esse ato é para que possamos conversar com a sociedade e tentar mostrar que a educação é o caminho, e não tirando o dinheiro da educação que vamos resolver o problema do país", disse Barros. O representante da UEB esclareceu ainda que mesmo os professores e sindicalistas não aderindo ao ato desta quinta-feira, em sala de aula ou até mesmo em atos públicos como este, os profissionais da educação declararam total apoio ao movimento legítimo dos estudantes. "Esse movimento é dos estudantes, mas em muitas cidades ao contrário de Brumado, aderiram ao movimento e servidores foram as ruas como nas cidades de Vitória da Conquista, Caetité e Guanambi paralisaram, então é sinônimo de que eles estão compartilhando o mesmo sentimento de defesa da educação", comentou Vanberg que ainda lembrou da próxima paralisação que acontecerá no dia 14 de junho. 

Foto: Luciano Santos l 97NEWS

Já a estudante Jéssica Bruna Lima, 19 anos, disse ao 97NEWS que o ato serve para chamar a atenção da sociedade de um modo geral, que pretendem no futuro ingressar em uma universidade estadual ou federal e não poder mais. "O governo está tratando a educação como uma despesa e não como investimento, e quando se corta investimentos na manutenção das instituições de ensino, no caso das universidades, dos IFS que vão parar de funcionar em setembro deste ano, eles não estão só afetando a manutenção em si, mas todo corpo docente daquela instituição que não vão ter como suprir as necessidades que a instituição tem para se manter funcionando", comentou. A estudante ainda chama a atenção da comunidade para conhecer de perto o que os cortes na educação pode representar para educação. "O ato de hoje também serve para abrir os olhos da população a título de conhecimento, pois muitos pais ainda não tem conhecimento do que a redução nos investimentos poderá cursar no futuro da nossa educação", diz Jéssica Bruna.

 

Foto: Luciano Santos l 97NEWS


Comentários

  • Diones Leite da Silva

    "Gostaria que fosse perguntado para esses estudantes qual a diferença de corte e contingenciamento? Onde eles estavam quando houve contingenciamento nos governos passados?? Porque todos os governos recorreu ao contingenciamento, quando tinha baixa na arrecadação."

  • marco antonio

    "Há uma grande desinformação por parte dos organizadores do evento citado, porque direção nenhuma impôs entraves para os alunos participarem do evento. o que realmente aconteceu é que os próprios estudantes não compareceram nem em sala de aula e nem na sua própria manifestação. Seria falta de interesse ou pura comodidade em poder acordar mais tarde sem precisar ir para a escola? Fica a pergunta"

Deixe seu comentário