ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Paramirim: Após ato com prefeito, convenção da oposição também tem aglomeração

Brumado: Boletim de sábado registra 150 casos ativos da Covid-19 e 8 pacientes hospitalizados

Feira de Santana: Vocalista da banda Chicana sofre acidente de carro e morre

Sistema BRAVO! rompe barreiras e chega ao Pernambuco

Confira os especialistas da semana na Clínica Mais Vida em Brumado

Brumado: Professores da rede municipal de ensino fazem carreata contra volta às aulas

Brumado: Agência da Caixa Econômica abre neste sábado (19) para atender calendário de benefícios emergenciais

Corpo é encontrado boiando em lagoa da zona rural de Brumado

Brumado: Presidente da Liga Brumadense de Futebol poderá ser o novo Secretario de Esportes

Contendas do Sincorá: PROS realiza convenção para homologar candidatura de Margareth Pina e Roberto

Brumado: 133 pacientes continuam em tratamento da Covid-19

Brumado: Idoso de 71 anos é detido após atirar em cães no meio da rua

Projeto torna crime agressão a profissional de imprensa

LAB: Segurança desde a coleta ao resultado do seu exame

Eleições 2020: Castilho Viana confirma candidatura a vereador em Brumado

Sortudo de Barra do Choça ganha sozinho R$ 607 mil na Lotomania

Carreta carregada com animais tomba na BA-152 entre Itanagé e Livramento, motorista e passageiro ficaram feridos e animais morreram

Brasil reduziria fila no SUS para atendimento de saúde ocular em 80% com optometristas


Sem diálogo com prefeito, vice-prefeita de Livramento de Nossa Senhora é isolada da gestão

A vice-prefeita de Livramento de Nossa Senhora, Joanina Sampaio (Rede), revelou estar isolado na Prefeitura de Livramento desde o início do mandato de José Ricardo Assunção Ribeiro (Rede), o Ricardinho. Em um evento da cidade, a vice disse que a função deveria acabar, visto que “não serve pra nada”. Segundo ela, o vice só serve para substituir o prefeito em caso de morte. Além disso, Joanina causou espanto ao dizer que não faz nada dentro da administração municipal. “Não tenho qualquer autonomia”, declarou, acrescentando que não recebe nenhum apoio oficial e que o poder público fecha os olhos para os problemas da população. Apesar do isolamento, Joanina disse que tem cumprido diariamente suas ações e continuará no exercício do cargo, já que foi eleita para a função. Joanina também assegurou não ter nenhuma objeção ao nome do prefeito Ricardinho. "Eu fui eleita e serei vice-prefeita até o último dia do mandato se Deus me permitir.  O trabalho continua normal", declarou. Questionada do por quê então não renuncia ao cargo, a vice-prefeita disse que não descarta essa possibilidade. A vice-prefeita recebe todos os meses cerca de R$ 12.600,000, que confessou usar para fazer assistencialismo, incluindo distribuição de cesta básica.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário