ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Eleitor tem até quinta-feira (18) para pedir voto em trânsito

Confira os especialistas da semana na Clínica Mais Vida em Brumado

Mega-Sena sorteia prêmio de R$ 27 milhões

Universidades Estaduais Baianas apoiaram Carta Aberta à Democracia

Brumado: Duas mulheres ficam feridas em acidente na BA-148

Deputados e senadores querem aumentar os seus salários para R$ 36,8 mil

PMs de Contendas do Sincorá e Vitória da Conquista são investigados por homicídios em 2018 e 2019

Bahia confirma mais dois casos da varíola dos macacos nesta sexta

Badalado restaurante de Livramento é demolido pelos proprietários após decisão Judicial

Brumado: Câmera flagra homem furtando caixa de som em loja de utilidades do centro; assista

Brumado: 34ª CIPM intensifica segurança e realiza blitz na cidade

Criança de 2 anos e oito meses morre após ser atropelada em Guajeru

Xiaomi apresenta robô humanoide que reconhece tristeza e 'consola'

Carta pela democracia atinge 1 milhão de assinaturas

Preço dos alimentos puxa inflação e salário mínimo é defasado

Justiça manda prender goleiro Bruno por atraso na pensão alimentícia

Acidente deixa três mortos na BA-142 entre os municípios de Ituaçu e Barra da Estiva

Brumado: Audiência discute intolerância religiosa e ataques a religião de matriz africana


Brumado: MPF pede suspensão de obras orçadas em mais de R$ 25 milhões

Foto: Luciano Santos l 97News

O Ministério Público Federal recomendou que a Prefeitura Municipal de Brumado suspenda construções na zona rural e em vários bairros de Brumado. O MPF de Vitória da Conquista, ajuizou Ação Civil Pública em razão da prefeitura ter desrespeitado sentença em Ação Declaratória e aplicado o valor de R$ 25.855.733,06, referente à parcela do Fundef, em obras de pavimentação, deixando de promover os devidos investimentos no setor de educação. Segundo o MPF, a ação tem como objetivo a suspensão de todas as obras que estejam em andamento e que seja decretada a nulidade dos contratos que se desvirtuem da finalidade proposta. “O setor que tem sido favorecido é o da infraestrutura - e isso em aspectos que em muito se distanciam da área da educação. Sem que se queira intervir no âmbito de discricionariedade da atuação governamental, é óbvio que a medida foi desproporcional, sobretudo se considerarmos que ela foi animada por uma justificativa superficial que se prestou a ocultar o fato de as obras estarem sendo executadas em caráter genérico e não em benefício de finalidades educacionais”, aponta o PMF. O Inquérito Civil Público está registrado com o nº. 1.14.007.000077/2018-14.



Comentários

  • Genilson Pereira

    "Aqui neste mesmo site eu já havia cantado a bola dessa situação. Não sei se foi postada, se foi, só está confirmando o que eu havia dito. Alguns repasses para a área da educação estariam sendo usadas para outras finalidades. Isso será apenas o começo, se o MP do estado instaurar um inquérito na cidade, no tocante que se refere a parte parlamentar entre outros casos, vão aparecer tantas coisas... "

Deixe seu comentário