ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

MP cobra solução de captação irregular de água no Distrito de Cristalândia, em Brumado

Atleta brumadense representará o Brasil durante Campeonato Sul-Americano de Fisiculturismo em São Paulo

Brumado: Polícia encontra pé de maconha em casa no bairro Malhada Branca

Governo da Bahia proíbe shows e festas com qualquer número de participantes

Brumado: Mulher fura companheiro com chave de fenda no braço

CICOM de Brumado tem novo coordenador; Capitão Felipe Barcellos

Dezembro tem a cor laranja: Clínica Mais Vida entra na campanha de prevenção do câncer de pele

Empesa pinta faixa de sinalização em cima de buraco em rodovia que liga a BA-148 ao distrito de Itaquaraí

Justiça de Brumado dá ganho de causa a servidor público que foi transferido após eleições

Brumado registra 79 novos casos do Coronavírus em 24h

Segunda onda na Bahia pode trazer cenário mais grave do que no pico da pandemia, diz Sesab

'Comando Vermelho não entrou na Bahia', garante secretario de Segurança Pública

Gás de cozinha fica 5% mais caro a partir desta quinta-feira (3)

Brumado: 20ª Coorpin receberá nova viatura do Governo do Estado

Após alta durante pandemia, preço de material de construção volta a cair em Brumado

Músico acusa Safadão de não pagar direitos de música e quer R$ 4,5 mi de indenização

Vitória da Conquista registra média de 30 casos por mês de golpes de venda de veículos

Pfizer pressiona Brasil sobre acordo para a vacina do coronavírus

Covid-19: Três cidades baianos não usavam nem telefone para atender usuários, aponta IBGE

Brumado registra mais de 3 mil casos confirmados de coronavírus


Urna eletrônica já é utilizado em 35 nações; modelo brasileiro virou referência internacional

Foto: Luciano Santos l 97NEWS

Em todo o mundo, 35 países já utilizam sistemas eletrônicos para captação e apuração de votos. O levantamento é do Instituto Internacional para a Democracia e a Assistência Eleitoral (Idea Internacional), sediado em Estocolmo (Suécia). A lista inclui democracias consolidadas como a da Suíça, do Canadá, da Austrália e dos Estados Unidos, país que adota sistemas eletrônicos em alguns estados. Na América Latina, México e Peru também fazem uso do sistema. Na Ásia, além de Japão e Coreia do Sul, há o exemplo da Índia. Maior democracia do mundo em número de eleitores -- mais de 800 milhões --, o país utiliza urnas eletrônicas semelhantes à brasileira, mas adaptadas à realidade eleitoral local. Com um dos mais avançados sistemas de votação utilizados no planeta, que envolve a captação, o armazenamento e a apuração de votos por meio da urna eletrônica, o Brasil é um dos poucos países que conseguiram expandir a votação eletrônica à quase totalidade dos eleitores. Em funcionamento desde 1996, o sistema tornou-se referência internacional nessa área. Já ocorreram empréstimos de urnas desenvolvidas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para vários países, entre eles, a República Dominicana, Costa Rica, o Equador, a Argentina, Guiné-Bissau, o Haiti e México. O Paraguai também empregou as urnas eletrônicas brasileiras em suas eleições de 2001, 2003, 2004 e 2006. O interesse internacional em relação ao sistema eletrônico de votação brasileiro e a presença de comitivas de vários países no TSE já integra a rotina do Tribunal. Nas Eleições Municipais de 2016, por exemplo, mais de 30 nações enviaram autoridades para acompanhar o pleito e conhecer o sistema brasileiro, entre as quais Angola, Bolívia, Botsuana, Coreia do Sul, Costa Rica, Estados Unidos, França, Guiné, Guiné-Bissau, Jamaica, México, Panamá, Peru, República Dominicana e Rússia. No final de setembro deste ano, o TSE recebeu a visita de parlamentares da República da Indonésia, país que manifestou a intenção de adotar o sistema de voto eletrônico em 2024.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário