ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Primeiras doses da vacina contra a Covid-19 chegam em Salvador

Nova doença pode gerar pandemia mais letal que Covid-19, alerta especialista

Bahia: Pelo menos dez cidades devem receber vacinas contra Covid-19 nesta segunda

Vacinação contra Covid-19 na Bahia deve durar 16 meses, estima Fábio Vilas-Boas

Profissionais de saúde compõem grupo da 1ª fase de vacinação contra Covid-19 em Brumado, diz secretário

Cidemar vence Covid-19 e tem reencontro emocionante com a família; vídeo

Após veículo capotar duas vezes, família sobrevive a acidente na BR-030 entre Brumado e Ibitira

Sede do Graer abrigará vacinas na Bahia; distribuição será feita com aeronaves

RotSat: Rastreamento de veículos ou de sua frota!

Enfermeira de São Paulo é 1ª vacinada contra Covid-19 no Brasil

Pax Nacional sempre ao seu lado

Mais da metade dos inscritos falta ao 1º dia do Enem em meio à pandemia

Super promoção da Loja Império 10: duas peças por somente R$ 15

Por unanimidade, Anvisa aprova uso emergencial de vacinas contra covid

Bahia: Roças com 120 mil pés de maconha são descobertas em Curaçá

Empresa brumadense vai investir R$ 8 milhões na cidade e gerar novos empregos

Embasa descobre novas ligações clandestinas no distrito de Lagoa Funda, em Brumado

Confira os especialistas da semana na Clínica Mais Vida em Brumado


Brasileiro Rodrigo Koxa bate recorde da maior onda do mundo; veja

Big Wave awards 2017/2018 | Foto: Pedro Cruz

O brasileiro Rodrigo Koxa bateu o recorde de maior onda surfada, na Praia do Norte, na Nazaré, superando em 61 centímetros o anterior registo do havaiano Garrett McNamara, de acordo com a Liga Mundial de Surf (WSL). Na gala de atribuição dos prémios de ondas gigantes (XXL), Koxa venceu o prémio para a maior do ano, com a onda surfada em 8 de novembro de 2017, que o painel calculou ter 24,38 metros de altura, mais 61 centímetros do que o anterior máximo, de 23,77 metros, também na Nazaré e que estava na posse de McNamara. De acordo com a WSL, o registo de Koxa passa a integrar o livro dos recordes do Guinness, substituíndo o anterior, que remontava a 01 de novembro de 2011. Das dez ondas nazarenas nomeadas para os galardões, entre as 30 candidatas, além do prémio arrebatado por Koxa para a maior, foi ainda premiada a queda do ano (‘wipeout’) de Andrew Cotton, em 08 de novembro de 2017, na qual o britânico fraturou uma vértebra. O vencedor do Nazaré Challenge, etapa portuguesa do circuito mundial de ondas gigantes, o brasileiro Lucas Chianca venceu o prémio de melhor desempenho global masculino, enquanto o galardão feminino foi entregue pela terceira vez à havaiana Paige Alms, superando a candidatura nazarena da brasileira Maya Gabeira. Com uma só onda, em Jaws, no Havai, o havaiano Ian Walsh conseguiu juntar os prémios de melhor onda surfada e melhor tubo. O também havaiano Aaron Gold arrecadou o troféu para melhor onda após remada, no mesmo local, batendo Lucas Chianca, que estava entre os nomeados para a categoria, com uma onda na Praia do Norte. A Nazaré contava com outras nomeações, incluindo duas para melhor onda surfada (Ross Clarke-Jones e Sebastian Steudner), outras três para a maior (Ross Clarke-Jones, Sebastian Steudner e Benjamim Sanchis) e uma queda (Owen Schultz).



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário