ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Menino que era torturado por pai e madrasta é resgatado em Manaus

Operação Grande Serra captura 29 pessoas, apreende drogas e dinheiro

Brumado: Esgotamento sanitário será o tema de uma audiência pública na Câmara

Governo Federal anuncia quarentena de cinco dias para viajantes não vacinados

Criadores do SGE Bravo participam de imersão empresarial em São Paulo

Programa para conter aumentos de preço de combustíveis é aprovado na CAE e vai a Plenário

Brumado: Após o sonho da casa própria, família não consegue ter água tratada em residência

Bancários reivindicam melhores condições de trabalho em agências de Vitória da Conquista

Em protesto, moradores cobram ações da prefeitura de Vitória da Conquista após transtornos gerados por chuvas

Galeria Pop é inaugurada e recebe aprovação máxima dos brumadenses

Brumado: Empresas se unem e realizam a maior confraternização entre funcionários

WhatsApp libera função para mensagens que desaparecerem automaticamente

Pesquisa aponta Viagra como medicamento candidato a prevenir Alzheimer

Foragidos de SP, MG e DF são alvos de operação em 5 cidades da Chapada

Caculé: Polícia prende homem que ajudou na ocultação do corpo de advogado

Atletas de Caetité conquistam quatro medalhas no Campeonato Mundial de Jiu-jitsu em São Paulo

Corpo em estado avançado de decomposição é encontrado na zona rural de Malhada de Pedras

Corpo de advogado desaparecido é encontrado na zona rural de Caculé

Gabinete de Segurança Institucional autoriza avanço de projetos de exploração de ouro na Amazônia

Morre Mila Moreira, 72, uma das primeiras modelos a se tornar atriz no Brasil


Bahia precisa de menos cirurgiões pediátricos do que o exigido pelo NCP, conclui Sesab

Foto: Conteúdo l 97News

O impasse com o Núcleo de Cirurgiões Pediátricos da Bahia Sociedade Simples (NCP) levou a Secretaria da Saúde da Bahia (Sesab) à conclusão de que o número de profissionais necessários para urgência e emergência da especialidade é inferior ao praticado anteriormente pelo Estado. O secretário da Saúde, Fábio Vilas-Boas, afirmou que há um esforço para estruturar uma solução com cirurgiões pediátricos do estado e profissionais que não concordam com a condução dada pelo NCP à questão. "Nós tivemos várias reuniões ao longo da semana passada para estruturar uma equipe que possa atender as duas bases onde nós necessitamos de cirurgiões: o HGE [Hospital Geral do Estado] e o Hospital Roberto Santos. Nós tivemos ao longo desse período um volume de atendimento muito inferior ao que era alegado pelo Núcleo de Cirurgiões Pediátricos como a razão demandante da necessidade de um número de 50 cirurgiões", explicou. Para o gestor, o NCP "tem agido de forma a cartelizar e impor ao estado valores de remuneração muito superiores aos praticados na média do mercado, valendo-se da sua exiguidade em números". Na tentativa de resolução, a secretaria deve publicar nos próximos dias um novo chamamento emergencial, com menor número de profissionais, para atender à nova estrutura desenhada. Em resposta à situação atual, os cirurgiões pediátricos decretaram, na última sexta-feira (20), estado de greve. A decisão inclui na disputa profissionais concursados e com contratos vinculados a organizações sociais. Em nota, o Sindicato de Médicos do Estado da Bahia (Sindimed) afirmou que a classe busca a manutenção do serviço prestado. Vilas-Boas reforçou que a secretaria está aberta à conversa, apesar de considerar "um absurdo" a tentativa de "induzir os cirurgiões que são servidores a parar para defender os interesses deles". "Nós estamos abertos a qualquer conversa, mas eles recusaram assinar o contrato com o estado com valores de remuneração que remontavam a mais de R$ 34 mil por mês para cada um deles. Isso é muito acima do que ganha qualquer profissional de qualquer especialidade no estado", criticou o secretário.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário