ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Bahia registra recorde na média móvel de casos de Covid-19

Brumado confirma a 47ª morte por conta do novo coronavírus

Caoa pode substituir Ford na fábrica de Camaçari, afirma coluna

Vacina negociada pelo Governo da Bahia é rejeitada pela Anvisa

Município de Brumado serviu como base de distribuição da Coronavac para microrregião

Brumado: Em nota, vereador denuncia que recebeu gabinete sem móveis e computadores

Mais rápida, grave e letal entre jovens: médicos relatam

Primeiras doses da vacina contra a Covid-19 chega em Brumado; imunização começou na manhã desta terça-feira (19)

Clínica Mais Vida traz para Brumado e região a médica Dra. Pâmela Araújo, que atua na área de Alergologia e Imunologia

Primeiras doses da vacina contra a Covid-19 chegam em Salvador

Nova doença pode gerar pandemia mais letal que Covid-19, alerta especialista

Bahia: Pelo menos dez cidades devem receber vacinas contra Covid-19 nesta segunda

Vacinação contra Covid-19 na Bahia deve durar 16 meses, estima Fábio Vilas-Boas

Profissionais de saúde compõem grupo da 1ª fase de vacinação contra Covid-19 em Brumado, diz secretário

Cidemar vence Covid-19 e tem reencontro emocionante com a família; vídeo

Após veículo capotar duas vezes, família sobrevive a acidente na BR-030 entre Brumado e Ibitira

Sede do Graer abrigará vacinas na Bahia; distribuição será feita com aeronaves

RotSat: Rastreamento de veículos ou de sua frota!

Enfermeira de São Paulo é 1ª vacinada contra Covid-19 no Brasil

Pax Nacional sempre ao seu lado



BUSCA PELA CATEGORIA "Justiça"

Em novo Júri, homem que matou a esposa grávida em Aracatu é absolvido pelo Conselho de Sentença

(Foto: 97NEWS)

Osmar de Jesus Souza foi julgado por homicídio qualificado por ter matado a esposa em 1997, no povoado Morro De Souza, em Aractu. O MP aduziu que o acusado agiu por motivo fútil, matando sua esposa pelo fato de que ela se negava a dizer quantas relações sexuais manteve antes do casamento. Além do homicídio qualificado, o réu ainda era acusado de, após matar a esposa, ter tentado matar, também por motivo fútil, o sogro, um primo e o filho deste primo. O réu foi julgado pelo Tribunal do Júri em 2007, sendo sentenciado a 17 anos de reclusão, por homicídio privilegiado (contra sua esposa) e tentativa de homicídio (contra o primo), contudo, o MP recorreu para que fosse realizado novo júri, pois não concordava com a pena. Ele já tinha cumprido mais de 10 anos de prisão e aguardava o desfecho do caso em liberdade. Nesta última quinta-feira (09) o novo Júri de Osmar ocorreu. A defesa foi patrocinada pelo Advogado Kleber Lima Dias. Em votação apertada, por 4 votos a três, os jurados acataram a tese da defesa e Osmar foi absolvido do crime de homicídio qualificado contra sua esposa. Também foi absolvido das três tentativas de homicídio.