20.Abr.2017 - 12:37
 
‘Prefeito busca desviar o foco e criar rivalidade política para esconder a paralisia de sua gestão’, afirma Zé Ribeiro
Redação 97NEWS
 
 

O vereador Zé Ribeiro vem buscando o fortalecimento da oposição na Casa Legislativa (Foto: Daniel Simurro | 97NEWS)
 

O ambiente político em Brumado, que tinha esfriado após as votações dos projetos polêmicos de autoria do Executivo Municipal, voltou a esquentar essa semana, após as declarações do prefeito Eduardo Vasconcelos (PSB) em seu programa semanal “Bom Dia Povo de Brumado”, as quais repercutiram fortemente no Legislativo, gerando intensos debates entre situação e oposição. O vereador Zé Ribeiro (PT), o qual teve um destaque especial na defesa dos interesses das classes que seriam afetadas pelos referidos projetos, mostrando um total inconformismo com os recentes episódios, voltou a subir o tom de seus pronunciamentos. “O prefeito tenta desviar o foco de sua inoperância administrativa, pois todos sabem que ele prometeu logo para o início da sua gestão a implantação da UTI, mas até agora nada e, o que é pior, as previsões são de que a unidade deverá demorar a ser implantada”, disparou o vereador que continuou argumentando que “já se passaram 100 dias da atual gestão e o que tivemos foram somente os projetos polêmicos que geraram um clima de ódio na cidade, ao invés do atendimento às grandes urgências do município, como na área de saúde por exemplo, onde, na maioria das unidades de saúde, nós verificamos que faltam equipes médicas e o atendimento no hospital municipal ainda deixa muito a desejar. O povo contava com a UTI, mas até o momento tem que ficar chorando a morte de seus familiares pela falta deste serviço que já deveria ter sido implantado”. Zé Ribeiro ainda destacou que “o que temos visto são ameaças de derrubadas de casas, um discurso separatista de ódio e segregação política, sem se falar na retirada dos direitos dos trabalhadores, nas contratações de inúmeros cargos de confiança, ao invés de se fazer concurso público. Tudo isso vem comprovar uma falta de sensibilidade e uma clara intenção de se privilegiar apadrinhados, quando o correto seria atender as grandes urgências do município, com obras estruturantes importantes, pois dinheiro em caixa existe para isso, tanto que a receita vem aumentando nos últimos anos, enquanto a nossa população, que deveria já ter ultrapassado a casa dos 80 mil habitantes, ainda está estagnada em 64 mil, isso se não diminuiu, pois vemos muitos relatos de famílias insatisfeitas que estão indo morar em outros municípios”. E fez questão de reiterar que “é o terceiro mandato do atual gestor, valendo fazer a ressalva que em 2012 ele fez o sucessor, então é o mesmo grupo que vem governando o município há 12 anos, tanto que a equipe de governo é praticamente a mesma. Isso não vem sendo benéfico para Brumado, não há como contestar”. E finalizou de forma contundente ao reafirmar que “no meu ponto de vista, fica evidente, uma clara intenção de desviar o foco da inoperância administrativa da atual gestão, usando inclusive um programa que era para ser institucional, mas que acaba tendo outros fins, criando um ambiente de rivalidade para fazer a população esquecer da UTI, da recuperação das ruas e avenidas da cidade, da retirada dos animais das vias públicas, do bom funcionamento das unidades básicas de saúde, das condições precárias das estradas vicinais, da falta de incentivo ao esporte e à cultura, entre tantas outras coisas. Infelizmente é esse o filme que estamos assistindo em Brumado, que tem um conteúdo de terror, que projeta nuvens obscuras sobre o futuro de nosso município”.