04.Abr.2017 - 09:11
 
Prefeitura de Brumado pretende disponibilizar água bruta da Barragem do Rio do Antônio para à população
Redação 97NEWS
 
 

A Barragem do Rio do Antônio, após as últimas chuvas, está com sua capacidade de armazenamento quase total (Foto: Luciano Santos | 97NEWS)
 

Os constantes e rígidos períodos de estiagens que vêm assolando o município de Brumado nos últimos anos, os quais deixam, principalmente, a população do meio rural, muito apreensiva, já que os reservatórios ficam muito comprometidos, teria sido a motivação para um projeto interessante que deverá ser operacionalizado em breve pela atual gestão municipal, o qual teria como base a antiga Barragem do Rio do Antônio, que, atualmente está quase sem utilidade, já que o abastecimento está sendo feito, segundo informações, praticamente 100% com as águas advindas da Barragem de Cristalândia. Segundo o próprio prefeito Eduardo Vasconcelos, a administração municipal mandará fazer vários testes sobre a real qualidade da água armazenada na Barragem do Rio do Antônio, para, em seguida, instalar vários chafarizes na cidade, onde será distribuída água bruta para a população que poderá utilizá-la para uso doméstico, o que poderia amenizar as fortes e sucessivas crises no abastecimento. 
 

A Barragem de Rio do Antônio teria totais condições para atender os objetivos do projeto (Foto: Luciano Santos | 97NEWS)

 

Vale ressaltar que a água não seria para uso potável, mas, mesmo assim, seria de grande utilidade para muitas famílias que acabam sendo atingidas com a queda no fornecimento, como aconteceu novamente neste ano de 2017, onde devido à queda do volume de armazenamento da Barragem de Rio de Contas, várias localidades ficaram à beira do colapso, valendo lembrar ainda, os sucessivos problemas na qualidade da água distribuída, que teve um forte odor indesejável, não podendo ser quase utilizada para banhos e nos afazeres domésticos. Não houve anúncio da possível data que o projeto será efetivado, mas acredita-se que ainda neste ano de 2017, alguns chafarizes, como o da foto abaixo, podem já estar servindo a população em pontos estratégicos. O grande desafio, porém, será a permissão da Embasa para a retirada da água e a sua posterior distribuição, já que a empresa poderá ter prejuízos com o projeto.

 

(Foto: Reprodução)