ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Promoter faz protesto bem humorado contra o aumento dos preços dos combustíveis em Brumado

Moradores e comerciantes da Exupério Pinheiro Canguçu cobram faixas de pedestres e semáforo no local

Brumado: Acusações sem provas em grupos de Whatsapp deverão provocar ações em série na Justiça

Unidade da Ortodontic Center completa um ano em Brumado

Luto em Conquista: Morre Moacir Figueira, a voz e a tradição da Exposição Agropecuária

Cenas Fortes: Namorada tenta socorrer adolescente vítima de emboscada

Lava Jato: 42ª Fase já está em andamento

27 de julho é o Dia Nacional do Motociclista

Juíza do Trabalho é ameaçada por dono de funerária por bloqueio de contas em Paulo Afonso

Brasil: Começa nesta quinta o pagamento do PIS-Pasep 2017-2018

Justiça anula liminar que suspende aumento do PIS/Cofins sobre combustíveis

Casa da Tapioca: Venha conhecer esse reino das delícias em Brumado

Caso Regimalço: Polícia Civil divulga foto de co-autor do assassinato

TJ diz que reajuste das taxas judiciárias segue ‘tendência nacional’

Menina de 13 anos tenta assaltar ônibus e esfaqueia motorista no DF.

Redução da fertilidade masculina pode levar à extinção humana

Câmara de Brumado e microrregião se reúnem para articulação da criação da União Regional dos Vereadores

Elétrica Cristaluz, sua moderna loja na área de produtos elétricos e iluminação

Marcelo Nilo deve migrar para o PR de olho em 2018

Bahia pode deixar de receber 2 bilhões de investimentos na energia eólica e solar


Reforma trabalhista: Um dia após rejeição, Câmara aprova tramitação com urgência

Foto: Reprodução

Após uma manobra do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que colocou novamente em votação, sem debate, o requerimento de urgência da reforma trabalhista na noite desta quarta-feira (19), a base do governo Temer conseguiu aprovar a proposta que acelera a tramitação do projeto. O requerimento havia sido rejeitado na noite desta terça, quando faltaram 27 votos, mas após um acordo entre parlamentares da base, que conseguiram votos suficientes para sua aprovação, voltou a ser votado. Com aprovação, por 287 votos a 144, a previsão é que a comissão especial vote a reforma trabalhista na próxima terça-feira 25 e, no plenário, na quarta (26). Em protesto contra a manobra antirregimental, os deputados da oposição gritaram "golpe" atrás de Rodrigo Maia e o acusaram de usar o "método Cunha" de votação, em referência aos episódios em que o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha manobrava para conseguir aprovar uma votação que já havia sido rejeitada, como aconteceu com a redução da maioridade penal.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário