ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Tentativa de Neto de ‘esconder Geddel é confissão de culpa’, diz Solla

Intermunicipal 2017 terá um campeão inédito

Conquista: Homem quase é linchado após ser flagrado filmando partes íntimas de menor

Ituaçu: Suspeito de ser um dos autores do assalto à joalheria em Brumado morre em troca de tiros com a Polícia

Maetinga: Homem é preso por porte ilegal de arma; ele estava com uma calibre 12

Luto: Sepultada a jovem universitária Letícia Santos, vítima de acidente na BA-263 em Itapetinga

Solidariedade: Adquira o seu kit da 'Caminhada Passos que Salvam' na Padaria Divina

Ciclistas brumadenses do MTB fazem bonito no Iº Desafio dos Gerais em Caetité

Novas mudanças nas certidões de nascimento, casamento e óbito passam a valer nesta terça

Aluna brumadense conquista `XVI Prêmio Denatran´ na faixa etária até 12 anos e 11 meses

Solteira sim, sozinha nunca: Pesquisa diz que mulheres se sentem mais felizes solteiras que os homens

Lava Jato: PF ataca corrupção na Transpetro na 47ª fase da operação; uma pessoa foi presa na Bahia

Bahia: Combustível continua caro porque distribuidora não repassou reajuste

Zé Carlos de Jonas agradece a administração municipal pelas obras de reestruturação do riacho que serve a Lagoa de Tamboril

Acusado de 'gestão temerária', Ivã de Almeida deve renunciar ao cargo de presidente do Vitória

PGR defende manutenção de prisão de Geddel Vieira Lima

'Essa cobrança da energia dos poços tem que ser revista com urgência', afirma vereador Zé Ribeiro

Presos fogem de complexo policial superlotado no município de Alagoinhas

Léo Vasconcelos, presidente da Câmara de Vereadores promulga lei que eleva Umburanas, Samambaia e Arrecife a categoria de distritos

Glória Maria diz que o próprio negro se discrimina


Câmara rejeita urgência para votar Reforma Trabalhista. Waldenor também votou contra

(Foto: Divulgação)

Na noite de ontem (18), depois de uma manobra articulada pela base governista para votar a Reforma Trabalhista ainda na quarta-feira, o governo de Michel Temer (PMDB) amargou derrota na Câmara dos Deputados com a rejeição do requerimento de urgência para apreciação do Projeto de Lei 6787, que altera a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). O deputado federal Waldenor Pereira (PT-BA) foi um dos parlamentares que votaram contra “a pressa governista em apreciar o PL que pode jogar a CLT no lixo e rasgar os direitos dos trabalhadores do Brasil”. O parlamentar baiano, que é membro da Comissão Especial da Reforma Trabalhista, afirma que a derrota de ontem foi uma “grande vitória dos trabalhadores, mas que a luta deve continuar, não só no Congresso, mas especialmente nas ruas”. “Eles trabalham com três frentes que têm como objetivo retirar direitos dos trabalhadores. Tem o projeto 4330, que hoje se encontra no Senado Federal. Em seguida, eles resgataram o projeto 4328, de 1998, o qual eu considero o mais nocivo, e que foi aprovado por essa casa há algumas semanas e existe ainda esse PL 6787, o qual é objeto de apreciação da Comissão Especial da qual faço parte, e que hoje, por meio de mais um golpe, eles tentaram aprovar em caráter de urgência, para não haver debate suficiente com a população, mas foram derrotados”, explicou Waldenor. O placar foi de 230 para os governistas contra 168 da oposição. No entanto, para o requerimento de urgência ser aprovado, era preciso 257 votos favoráveis. Waldenor acredita que esta derrota já mostra um reflexo das manifestações populares no posicionamento dos deputados e que, “no dia 28 de abril, é preciso que o Brasil vá novamente às ruas, que paralise suas atividades, em defesa dos direitos trabalhistas e sociais e contra o golpe em curso no país”. 

(Foto: Divulgação)


Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário