ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Brumado: Crescem as reclamações de perturbação da ordem; estabelecimentos da área de entretenimento são os alvos

Brumado: Prefeitura tomará posse da área invadida por movimento; terreno será murado para evitar novas invasões

Justiça Eleitoral pede retirada de outdoor em apoio a Bolsonaro em Brumado

Vereador Lek apresenta novas indicações buscando melhorias para bairros periféricos de Brumado

Equívoco cometido por GCM, faz com que a Central de Marcação volte ao cenário das reclamações

Dia do Rotariano: Vereadora Lia Teixeira parabeniza os membros da organização

Brumado Profissionalizar: A sua chance de mudar a sua vida

Divulgado aviso de Licitação para concessão de empresa para gerenciar “Zona Azul” em Brumado

Começa pagamento do Pis/Pasep; Veja se tem direito a até R$ 954

Brumado: Cursos de Engenharia de Minas e Civil deverão ser implantados pelo IFBA

Brumado: Empresário do ramo alimentício, ‘Alex do Pirão’, indignado com a Embasa

Brumado: Investigadores da Polícia Civil recapturam foragido da justiça

Nesta sexta-feira (23) tem mais uma edição da Feirinha Comunitária do Bairro Baraúnas

Deu Bahêa: Com direito a nova dancinha de Vinícius, Bahia vence o Náutico na Fonte Nova

Procurador pede exclusão e rebaixamento do Vitória no Baianão

Barra do Choça ganhará uma nova rádio 100% internet a partir desta sexta-feira (23)

Luta pela vida: Jovem de Malhada precisa de doadores de sangue em Vitória da Conquista

Grupo Direita Brumado: Outdoor homenageia a ideologia defendida pelo deputado Jair Bolsonaro

Entulho deixado por empreiteira na Rua Nazaré vira objeto de revolta dos moradores

Chegou visita em casa, então a dica é os deliciosos pães de queijo da Padaria Divina


Eliana Calmon faz projeção que a 'Lava Jato' poderá atingir o Poder Judiciário

(Foto: Daniel Simurro | Arquivo de Conteúdo)

Ministra aposentada do Superior Tribunal de Justiça (STJ), a baiana Eliana Calmon acredita que a Operação Lava Jato ainda vai atingir o Poder Judiciário, mas em um "segundo momento". Durante entrevista à Folha de S. Paulo, ela disse que existe muito a ser investigado no setor. "Entendo que a Lava Jato pegará o Judiciário, mas só numa fase posterior, porque muita coisa virá à tona. Inclusive, essa falta tem levado a muita corrupção mesmo. Tem muita coisa no meio do caminho. Mas por uma questão estratégica, vão deixar para depois", declarou. Calmon acusou o corregedor nacional do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), João Otávio de Noronha, de tentar blindar juízes em entrevistas e criticou a ideia de que não se deve punir o Poder Judiciário. "Ele diz que é preciso dar mais autoridade aos juízes, para que se sintam mais seguros. Caminha no sentido bem diferente do que caminharam os demais corregedores", avaliou. A ministra aposentada do STJ ainda comentou a lista de investigados a partir das delações premiadas da Odebrecht e disse se surpreender apenas com os nomes do senador José Serra (PSDB-SP) e do ministro das relações exteriores, Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP). "Pelo que já estava sendo divulgado, praticamente todos os grandes políticos estariam envolvidos, em razão do sistema político brasileiro que está apodrecido", afirmou.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário