ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Mesmo com pouco volume de chuva, Brumado volta a registrar alagamentos

Homem leva 4 tiros após beijo gay em bar

Aeronaves são enviadas para combater incêndio em Rio de Contas e Livramento

Idoso de 69 anos é agredido durante discussão de trânsito em Vitória da Conquista; veja o vídeo

Brumado: Após ser retirado de pauta por várias vezes, PL 023/2019 é aprovado na Câmara de Vereadores

Universitários de Brumado fazem campanha para ajudar amiga com câncer

Polícia Militar apreende produtos falsificados em farmácia de Brumado

Delegado Arilano Botelho fala dos seus planos de trabalho à frente da 20ª Coorpin

Mal de Alzheimer: Cuidados essenciais para quem sofre com essa doença

Brumadenses superam a distância entre o sonho e a realidade do futebol feminino

Mineração de urânio da INB traz à tona memória de contaminação nos municípios de Caetité e Lagoa Real

Pax Nacional fecha parceria com faculdade Faveni

Chuva em Brumado surpreende moradores e ameniza temperatura no 'Sertão Produtivo'

Gás de cozinha aumenta nas distribuidoras a partir de hoje (22)

Brumado: PSD não deverá sair das mãos do advogado Thiago Amorim

Brumado: Projeto de Lei que prevê empréstimo de R$ 5 milhões volta à pauta do Legislativo

Auditoria vai apurar como 17 municípios baianos fizeram gastos em saúde

Apae de Brumado realizará assembleia geral ordinária para eleição da nova diretoria executiva

BA-148: Motociclista de 37 anos morre após sofrer acidente próximo ao distrito de 'Fazendinha'

Incêndio de grandes proporções atinge área de vegetação em Rio de Contas


Três em cada dez casas do País não têm água encanada, esgoto e coleta de lixo

Três em cada dez casas brasileiras não têm ao menos um dos três pilares do saneamento básico: água encanada, esgoto ou coleta de lixo. A taxa, que consta do estudo Síntese de Indicadores Sociais, divulgado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta sexta-feira (29), considera apenas as construções de áreas urbanas, excluindo residências rurais. Apesar do índice alto, o instituto destaca que a proporção de casas sem acesso completo à rede de saneamento vem diminuindo no País. Segundo o estudo, a taxa subiu de 63% para 70,3% em dez anos. O IBGE aponta que, quando se fala em água, esgoto e coleta de lixo, há grande desigualdade entre famílias ricas e pobres. “Em 2002, para a classe de rendimento de até meio salário mínimo médio mensal per capita domiciliar, apenas 38,4% declararam ter acesso ao saneamento adequado, chegando a 82,0% para a faixa acima de dois salários mínimos per capita”, diz o texto. “Em 2012, essas proporções foram de 51,7% e 83,6%, respectivamente.”“Vale incluir a iluminação elétrica na análise de acesso simultâneo a serviços ao domicílio”, afirma o estudo. “Dos 29,7% dos domicílios que não tinham acesso aos quatro componentes (abastecimento de água, esgotamento sanitário, coleta de lixo e iluminação elétrica), em 2012, 93,5% acusaram ausência de esgotamento sanitário.”

A pesquisa do IBGE leva em consideração, principalmente, os dados da Pnad 2012 (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios). O levantamento se apoia em dados sobre a população brasileira, desigualdades raciais e de gênero, arranjos familiares, domicílios, educação, saúde, trabalho e rendimento e compara informações de 2002 e 2012. O objetivo é conhecer a realidade brasileira, sobretudo para avaliar a qualidade de vida do brasileiro.  



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário