ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Segunda tentativa de homicídio é registrada em menos de 8 horas em Brumado

Confira os especialistas da semana na Clínica Mais Vida em Brumado

Brasil registra mais de 35 mil mortes por covid-19 e ultrapassa mil óbitos nas últimas 24 horas

Homem de 40 anos é encontrado morto na zona rural de Guanambi

Covid-19: Brumado registra 47 casos confirmados, 28 em tratamento, um óbito e quatro pacientes internados

Correios serão opção para fazer cadastro para auxílio emergencial

Brumado: Homem é alvejado com vários disparos de arma de fogo no bairro Santa Tereza

2ª parcela do vale-alimentação estudantil começa na segunda-feira (8)

Eclipse lunar acontece nesta sexta-feira (5) e pode ser acompanhado no Brasil

Brumado: MP abre inquérito para pacientes com Covid-19 que não estão cumprindo medidas de isolamento

Brumado: Confirmada primeira morte por coronavírus no munícipio

Brumado: Servidor público tem CPF cadastrado ilegalmente no auxilio emergencial do Governo Federal

Vacina brasileira contra a Covid-19 começa a ser testada em animais

Prints e conversas do whatswpp sem autorização judicial é ilegal

Sesab confirma 14.243 casos ativos da Covid-19 na Bahia; número de óbitos se aproximam de 800

Municípios baianos têm até dia 8 deste mês para informar gastos com pandemia

Prefeitura de Caetité lança programa de ajuda emergencial a artistas

RHI Magnesita mantém ciclo sustentável de alto impacto em Brumado

Bolsonaro publica MP que permite repasse de R$ 60 bilhões em ajuda a estados e municípios

Covid-19: Brumado passa a ter 28 casos ativos da doença e 1.335 notificações


Ministério Público aponta R$ 2,5 bilhões em fraudes no Bolsa Família

(Foto: Veja OnLine)

O Ministério Público Federal (MPF) informou nesta segunda-feira que foram encontradas irregularidades no valor de 2,5 bilhões de reais no pagamento dos benefícios do Programa Bolsa Família nos anos de 2013 e 2014. De acordo com levantamento feito pelo MPF, por meio de um grupo de trabalho criado para identificar falhas nos benefícios, foram constatados saques de pessoas falecidas, de funcionários públicos, donos de empresas e doadores para campanhas políticas. As informações foram antecipadas na edição desta semana de VEJA. Após identificar as irregularidades, o órgão enviou as informações à Secretaria Nacional de Renda de Cidadania, do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário, para que a pasta se manifeste em 30 dias sobre as providências adotadas para prevenir as fraudes. Os dados sobre as irregularidades foram levantados pelo MPF por meio de um cruzamento de dados do Portal da Transparência, do governo federal, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), da Receita Federal e da própria Secretaria Nacional da Renda de Cidadania. Em nota à imprensa, o ministério disse que entrou em contato com o MPF para tratar do assunto e está aperfeiçoando a fiscalização dos pagamentos. (Veja)



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário