ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Cipe-Chapada prende homem com revólver, drogas e dinheiro em Milagres

WhatsApp vai lançar nova versão; veja as mudanças

Como a Bahia virou uma potência mundial do marketing político

Após ser espancada, mulher denuncia o marido e posta foto do rosto no Whatsapp

Bahia estreia neste domingo no Baianão sem três titulares

O Congresso poderá votar ainda no primeiro semestre projeto que regulariza o funcionamento de cassinos no Brasil,

Efeito Waack: Globo cobrará multa milionária de contratado em 'comportamento anti-ético'

Violência em Itapetinga: Adolescente é executado e outro morre em confronto com a PM

Mais de 1,4 mi de eleitores ainda não fizeram biometria na BA; prazo termina dia 31

Haddad sugere que Viagra passa a ser vermelho para homenagear 'T' de Lula pelo Brasil

Cristiane Brasil é autorizada pelo STJ para assumir o Ministério do Trabalho

BR-430: Motoqueiro é atingido por caminhão e tem morte instantânea na região de Caetité

20 de janeiro: Brumadenses irão comemorar o `Dia de São Sebastião´ patrono de Brumado

Jornalista global se demite após 18 anos para investir em bitcoin

Mega-Sena pode pagar prêmio de R$ 15 milhões hoje (20)

Instrumentos que foram roubados de Caetano Veloso são recuperados pela Polícia

Governo da Bahia divulga resultado provisório de concurso para soldado da PM

Barreiras: Pai é suspeito de agredir filha com machado após ela reagir a tentativa de abuso

Olha o Gás: Petrobras reduz preço de gás industrial e comercial em 6,3% a partir de sábado

Brumado: Confira a programação do `Verão Vip 2018´


Dono de cão com suspeita de Calazar acusa agente de endemias por cobrar exame; setor se defende

(Fotomontagem: 97NEWS)

O mototaxista Fábio Oliveira de Azevedo procurou o Grupo Alternativa de Comunicação para apresentar uma denúncia contra um agende de endemias, o qual, segundo ele, cobrou para a realização do exame de constatação do Leschimaniose Visceral, o popular Calazar. “O meu cão apresenta muitos sintomas que indicam ser Calazar e os agentes foram em casa e se recusaram a fazer o exame e, depois que fui ao setor novamente, me informaram que somente pagando que poderia realizar o procedimento confirmatório”, relatou e ainda indagou que “pagar por um exame que é de responsabilidade do estado é uma afronta, já que pagamos os impostos, além do que é um caso de saúde pública, pois caso o cão esteja mesmo infectado ele está colocando a vida da minha família e da vizinhança em risco. Não temos coragem para sacrificar o animal, então somente o setor de endemias para resolver o problema”.  Nossa equipe falou com o coordenador do setor de endemias, Fábio Azevedo que explicou que “realmente não temos o exame Elisa, que é o confirmatório, mas temos o kit de triagem, que mostra a suspeita. O Lacen também está sem o kit, então o único jeito é retirar o sangue e entregar para os proprietários para fazerem o exame num laboratório particular”. Questionado sobre os números do Calazar em Brumado, ele respondeu que “temos 3 casos suspeitos, os quais estão sendo monitorados”. 



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário