ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Barra do Choça: Ônibus da Novo Horizonte cai em ribanceira; Motorista evitou uma tragédia

SP: Justiça autoriza transfusão de sangue em recém-nascido de família Testemunha de Jeová

Zé Carlos de Jonas participa do lançamento do Projeto ‘Mutirão das Cirurgias Eletivas 2018’

Brumado: Motociclista fica ferido em colisão próximo ao SAC

Nota de Esclarecimento | Ermony Ataíde Gomes

Promoção 'Quinta Maluca' do Rey do Dellivery ainda melhor

Rio do Antônio: ‘Alex de Deca’ tem mandato extinto; vereadora foi empossada em seu lugar

Bahia: Projeto obriga Coelba a deixar toda fiação do estado subterrânea

Vereadora Lia Teixeira acompanha o início dos serviços de recuperação da estrada que liga Cristalândia a Umburanas

Caetité: Carreta carregada com bois tomba na BR-030; vários animais morreram

Quartzolar a primeira do Norte e Nordeste no ramo de argamassa e rejunte a ser certificada pelo ISO 9001/2015

Lek declara apoio às pré-candidaturas de Márcio Moreira e ‘Manelão’

Após desapropriação de terreno ao lado do IFBA, prefeitura abre licitação para construção de muro

Prefeitura de Dom Basílio negocia dívida deixada por ex-gestores; o valor chega aos R$ 7 milhões

1º de Maio dos Mineradores

Polícia invade velório para destravar celular com digitais do defunto

Consumidor: Descubra por quanto tempo seu nome fica no SPC ou Serasa

Urologia é no Centro Médico São Gabriel com Dr. Ricardo Ferraz

Brumado: Estudantes dos Cursos de Logística e Contabilidade do CEEP realizam visita técnica

Vitória e Corinthians empatam no Barradão pela partida de ida das oitavas-de-final Copa do Brasil


Crise financeira faz cachês dos maiores cantores despencarem. Axé foi o mais afetado

Cachê de Ivete despencou de R$500 mil para R$ 300 mil em menos de 6 meses (Foto: Reprodução)

Fim do ano é hora de fazer um balanço financeiro dos 12 meses que se passaram. E a música brasileira sofreu diretamente os efeitos da crise econômica que assola o país.Em média, segundo empresários ouvidos pela coluna, a queda foi de cerca de 30% do valor dos preços cobrados há um ano. Alguns ritmos musicais sofreram mais o efeito da crise do que outros. O axé music foi, disparado, o ritmo musical mais afetado. Ivete Sangalo é a única que ainda consegue se sobressair em meio à crise na Bahia. E o sertanejo continua tendo os cachês mais altos do mercado e levando mais público aos shows. Eles dominam as rádios e os empresários do meio sertanejo são muito unidos, o que mantém intacta a força da música do interior do país. Inevitavelmente, quem sofreu diretamente com a queda dos cachês foram os músicos e bailarinos. Todos (todos mesmo) os cantores cortaram, nos últimos meses, alguns componentes de suas bandas, até mesmo para diminuir os custos de transporte e hospedagem.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário