ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Homem de 64 anos morre ao se lançar em um foguete caseiro nos Estados Unidos

Bebê de um ano é internado com suspeita de coronavírus no sul da Bahia, diz Sesab

Ator da Globo abaixa cueca e dança para foliões em Carnaval

Homem vindo da Itália para o Brasil testa positivo para coronavírus

Brumado: Motociclista fica ferido em acidente na BR-030, próximo a fábrica de cimento

Brumado: Caçador foge da PM e abandona espingarda e munições

The Voice Kids: Ituaçuense se despede do programa com muita emoção

Clínica Mais Vida - reumatologista fala sobre diagnóstico e tratamento da fibromialgia

Milhares de prefeituras podem ter seus recursos da saúde bloqueados por falta de dados no SIOPS

Feminicídio cresce na Bahia e segue tendência nacional

Cerveja é a bebida favorita de 92% dos foliões brasileiros

Rio de Contas: Carro de passeio com quatro pessoas cai em ribanceira na BA-148

Consultório Júlio Santos: Glaucoma tem tratamento?

Mega-Sena: Prêmio acumula pela 16ª vez e vai para R$ 200 milhões

PodoClin: Dicas para pular o carnaval com unhas e pés bem cuidados

Governo monitora navios na costa brasileira para evitar entrada de coronavírus

RotSat: Rastreamento de veículos ou de sua frota!


Professora é presa tentando dar golpe de R$ 95 mil em banco

(Foto: Reproudção)

Uma professora do município de Camaçari foi presa tentando dar um golpe em uma agência bancária que fica no Salvador Norte Shopping, em São Cristóvão, na manhã desta sexta-feira (28). Maria Sirádia Coelho da Silva, 57 anos, pretendia retirar R$ 95 mil da conta de uma cliente do banco e estava com uma identidade falsificada, para se passar pela vítima. De acordo com o titular da 12ª Delegacia (Itapuã), delegado Antônio Carlos Magalhães Santos, a professora chegou na agência se passando pela cliente. Ela apresentou uma identidade falsa e pediu para retirar a segunda via do cartão, que a vítima havia solicitado um mês antes.  A professora ainda assinou alguns documentos como se fosse a verdadeira cliente e pediu para fazer o resgate de parte do dinheiro que estava na conta da vítima. O valor de R$ 95 mil era produto de uma aplicação bancária feita pela cliente. A ação da mulher levantou suspeita e, desconfiados, os funcionários do banco avisaram a polícia.  "Primeiro ela procurou uma agência no centro da cidade (Salvador) para informar que faria o resgate do valor, mas disse que a ação seria feita em outra agência. Ela, então, procurou a agência do Shopping e tentou fazer o estelionato, mas os funcionários desconfiaram e avisaram a gente", contou o delegado.

 

Os investigadores da 12ª Delegacia prenderam a professora em flagrante. A polícia acredita que ela faz parte de uma quadrilha e que estava agindo com o auxílio de, ao menos, outras duas pessoas. A possibilidade de que um funcionário do banco tenha passado as informações também não foi descartada. "Ela sabia que a vítima tinha feito o pedido de uma segunda via do cartão e que ainda não tinha retirado. Sabia que a vítima tinha feito uma aplicação na conta e que podia pedir o resgate do valor e sabia como a vítima assinava, ou seja, ela tinha informações a que uma pessoa comum não tem acesso”, afirmou o delegado. O gerente informou à polícia que Maria Sirádia pediu para transferir R$ 75 mil da conta da cliente para outra conta bancária e disse que levaria os outros R$ 20 mil em dinheiro. A polícia encontrou com ela dois cartões de crédito em nome de pessoas aleatórias e papeis de rascunho, nos quais ela treinou a assinatura da verdadeira clienA professora contou ao delgado que foi procurada por um homem que ofereceu a ela o serviço. O suspeito providenciou a documentação falsificada e orientou a mulher a como agir. “Ela estava o tempo todo em contato com ele pelo whatsapp. Nos últimos meses detectamos o aumento no número de casos de estelionato ou tentativa de estelionato a agências bancárias. Os bandidos, geralmente, procuram alguém com as caraterísticas ou idade aproximada a das vítimas”, afirmou. Maria Sirádia não tem passem policial e disse aos investigadores que foi a primeira vez que tentou praticar o crime de estelionato. A assessoria da Secretaria da Educação de Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador, confirmou que a mulher faz parte do quadro de docentes da cidade, mas não forneceu detalhes sobre a suspeita. Ela vai responder por tentativa de estelionato, uso de documentação falsa e falsificação de documento público. A polícia estuda ainda a possibilidade de indiciá-la por formação de quadrilha. A professora foi encaminhada para o Conjunto Penal Feminino, no Complexo Penitenciário da Mata Escura. 



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário