ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Mesmo com pouco volume de chuva, Brumado volta a registrar alagamentos

Homem leva 4 tiros após beijo gay em bar

Aeronaves são enviadas para combater incêndio em Rio de Contas e Livramento

Idoso de 69 anos é agredido durante discussão de trânsito em Vitória da Conquista; veja o vídeo

Brumado: Após ser retirado de pauta por várias vezes, PL 023/2019 é aprovado na Câmara de Vereadores

Universitários de Brumado fazem campanha para ajudar amiga com câncer

Polícia Militar apreende produtos falsificados em farmácia de Brumado

Delegado Arilano Botelho fala dos seus planos de trabalho à frente da 20ª Coorpin

Mal de Alzheimer: Cuidados essenciais para quem sofre com essa doença

Brumadenses superam a distância entre o sonho e a realidade do futebol feminino

Mineração de urânio da INB traz à tona memória de contaminação nos municípios de Caetité e Lagoa Real

Pax Nacional fecha parceria com faculdade Faveni

Chuva em Brumado surpreende moradores e ameniza temperatura no 'Sertão Produtivo'

Gás de cozinha aumenta nas distribuidoras a partir de hoje (22)

Brumado: PSD não deverá sair das mãos do advogado Thiago Amorim

Brumado: Projeto de Lei que prevê empréstimo de R$ 5 milhões volta à pauta do Legislativo

Auditoria vai apurar como 17 municípios baianos fizeram gastos em saúde

Apae de Brumado realizará assembleia geral ordinária para eleição da nova diretoria executiva

BA-148: Motociclista de 37 anos morre após sofrer acidente próximo ao distrito de 'Fazendinha'

Incêndio de grandes proporções atinge área de vegetação em Rio de Contas


Impactante: Relato de uma Delegada de Polícia

(Imagem Ilustrativa)

"Há dois anos e sete meses sou delegada de polícia. Embora eu tenha passado no concurso na condição de concurseira e não propriamente na de vocacionada, aprendi muito na polícia civil e com a polícia civil. Aprendi a dar maior valor à vida, porque vi que ela é frágil demais. Aprendi a dar valor ao sono, porque ele é artigo de luxo para um policial. Aprendi a enfrentar situações de risco com mais naturalidade, porque se trabalha com o risco todo dia. Aprendi que garantista mesmo não é aquele que infla falando do assunto, de pantufa, com uma doutrina na mão, e sim aquele que confere as garantias ao preso numa delegacia, há 48h sem dormir, trabalhando em condições precárias, com fome, com sono e diante de um bêbado gritando e ofendendo até a sua quinta geração. Aprendi que há profissões em que a gente acaba pagando para trabalhar, porque os recursos matérias e humanos são parcos e a gente quer muito que aquilo dê certo, que fique bom. Aprendi que servir e proteger não é só um juramento. É um modo de vida. Aprendi a me abnegar, a esgotar as minhas forças e continuar de pé, a enfrentar meus medos e a deixar, muitas vezes, a família e os amigos de lado (é a pior parte) para bem cumprir a minha missão. Os únicos a abrir as portas para as vítimas nas madrugadas frias. Aqueles que são os primeiros a tomar conhecimento do crime e a tomar as primeiras (e mais sacrificantes) providências (ouvir os familiares do morto logo depois do homicídio, comparecer no local do crime, na vila, de madrugada, na chuva, para isolar o local e colher os primeiros elementos de prova...). Aqueles que volta e meia têm que se confrontar com marginais. Generalizar e jogar lama na honra, na coragem e no mérito dos policiais não vai fazer da polícia uma instituição melhor. Apoie o policial. A esmagadora maioria arrisca a vida por você!"



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário