ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Rio de Contas: Caminhão carregado de lonas cai em ribanceira em curva da BA-148

Brumado: Uneb disponibilizará monitores para melhorar atendimento na pediatria do Hospital Municipal

Jovem acusa ter sido agredido por homofobia após descer de ônibus em Conquista

Alunos envenenam professora em sala de aula

Jovem de 20 anos é encontrado morto dentro de casa em Brumado

Confira os especialistas da semana na Clínica Mais Vida em Brumado

Brumado: Tratamento do glaucoma e catarata deve retornar a partir de março, diz Sesau

Brumado: IBGE convida população para segunda reunião de planejamento e acompanhamento do Censo 2020

Ortopedia na Clínica Mais Vida com o especialista Dr. Ricardo Amâncio

Escolas de Brumado aderem a campanha contra desafio da rasteira

IBGE prevê safra na Bahia de 8,6 milhões de toneladas de grãos em 2020


‘Solta os jegues, não mata os bichinhos de sede’, denuncia agricultor à 97FM

Os animais estariam morrendo por falta de água segundo a denúncia

A 97FM é repleta de histórias pitorescas, muitas das quais retratam com exatidão a realidade da vida no sertão da Bahia, com suas dificuldades e seus desafios. Nesta sexta-feira, dia 30 de janeiro, o repórter do Jornal da Alternativa Segunda Edição, o incansável Marcos Paulo descobriu mais uma dessas histórias, desta feita envolvendo um típico animal da Caatinga, o jegue. Ele ouviu um agricultor, que pediu para manter sua identidade em sigilo, o qual denunciou uma situação de maus tratos a animais que estaria acontecendo no Sítio São José, região do Distrito de Ubiraçaba. Segundo o agricultor, um fazendeiro dono de 5 jegues está mantendo os animais confinados sem água, sendo que, ao que tudo indica, um dos animais já morreu de sede. Ele disse à nossa reportagem que “eu já fui lá avisei ao homem para que ele solte os jogues para os bichinhos não morrer de sede, mas ele teima em manter os animais presos” e continuou dizendo que “eu vim aqui procurar a rádio Alternativa para fazer essa denúncia que espero que seja transmitida ao Ibama, pois, ou se não, todos os animais podem morrer de sede”. 



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário